Mórmons usam talento de missionários no setor de venda direta

OAK BROOK, Illinois - Seis dias da semana, sob tempo bom ou ruim, dezenas de vendedores de porta em porta, que vivem apertados em um conjunto de apartamentos neste subúrbio de Chicago, entram em carros e caminhonetes e seguem para a cidade grande, destinados a vender sistemas de segurança para casas.

New York Times |

No domingo, seu único dia de folga, eles dirigem juntos para a casa de orações mais próxima da Igreja de Jesus Cristo dos Santos do Último Dia.

Os vendedores são antigos missionários mórmons de Utah que gastaram a língua e aprenderam a convencer as pessoas depois de anos de porta em porta em nome da fé. Em Chicago e seus subúrbios para onde sua empregadora, a Pinnacle Security of Orem, de Utah, os enviou para as vendas de verão, eles fazem quase o mesmo, mas como um emprego.

"Este é o trabalho do missionário como um negócio", disse Cameron Treu, 30, que serviu sua missão no Chile e foi recrutado para ser vendedor por um outro ex-missionário.

Gerentes da Pinnacle Security, fundada em 2001 por um estudante da Universidade Brigham, de propriedade da Igreja Mórmon, dizem que os missionários simplesmente sabem fazer o serviço. Muitos falam línguas estrangeiras que aprenderam durante suas missões. Todos têm casco duro para lidar com a rejeição que um missionário com o Livro dos Mórmons recebe com um sorriso.

Os homens mórmons têm que servir em missão com cerca de 20 anos e quase um terço dos 1.800 vendedores da Pinnacle Security deste verão passaram pela experiência. Antigos missionários também trabalham para outras companhias com vendas diretas, apesar da Pinnacle parecer única: ela os coloca em 75 cidades de todo o país.

"Eles estão acostumados a bater de porta em porta, e a receber bem a rejeição", disse Scott Warner, gerente da equipe de vendas de Chicago.

Conforme milhões de empregos desapareciam no ano passado, pelo menos 100 mil americanos se uniram ao batalhão da chamada venda direta. Além disso, a retenção do cargo está em alta em uma profissão que geralmente era temporária, explicam os especialistas no setor. Na Pinnacle Security de Oak Brook, por exemplo, apenas 15% dos vendedores desistiram ou não atingiram as expectativas, depois de um mês de vendas.

"Antes da minha missão, eu batia de porta em porta e conseguia pouca atenção", disse Matt Biesinger, 23, que trabalhou no verão passado para a Pinnacle antes de ir ao Paraguai como missionário. "Na missão, eu aprendi como falar com as pessoas".

Leia mais sobre mórmons

    Leia tudo sobre: mórmons

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG