Michelle Obama é a força do marido

DENVER, Colorado ¿ A multidão adora o nome de Barack Obama e seus oponentes republicanos o comparam às celebridades de Hollywood.

The New York Times |

Em sua casa em Chicago, sua mulher, Michelle, às vezes lembra o democrata que ele não é tudo isso.

Ela o mantêm no lugar, disse Bethann Hester, 45, de Chicago, amigo de Michelle há 15 anos. Ela não o deixa subir muito.

Michelle sobe ao palco na noite de segunda-feira em Denver, onde irá tentar vender seu marido para os Estados Unidos, dividindo com o público histórias sobre os valores que guiam Obama, as experiências que o moldaram e o porquê eu acredito que ele será um presidente extraordinário, conforme ela mesma respondeu em um e-mail. Eu também vou dividir histórias sobre a minha vida e meu passado com o país.  

"Papel fundamental"

Enquanto esses detalhes ganham alguns eleitores, historiadores dizem que tão importante quanto isso é o que Michelle Obama, 44, irá revelar sobre sua relação com o marido e como eles poderão interagir na Casa Branca. A primeira-dama, dizem, é a pessoa que talvez esteja mais bem posicionada para dizer ao presidente as verdades que ele precisa ouvir.

Descobrir qual será o papel da primeira-dama no gabinete é uma coisa, mas mais importante que isso é a relação entre ela e seu marido, disse Doris Kearns Goodwin, autor de diversos livros sobre presidentes. É onde a influência pode ser monumental.  


Michelle e Obama chegam para o comício em Springfield / Reuters

A influência de Michelle Obama provavelmente será enorme. Ela e o marido estão tão entrelaçados que um não pode ser examinado sem que seja analisado o outro também, dizem familiares e amigos. Um termina a frase do outro, alfinetam-se quando é preciso, são melhores amigos, parceiros e amantes genuínos. 

Em um evento semana passada na Saddleback Church, na Califórnia, Obama foi questionado sobre quais eram as três pessoas que ele mais confiaria enquanto presidente e ele citou a mulher em primeiro lugar.

Barack é ótimo marido e pai, disse Michelle Obama. Ele é meu companheiro ¿ meu melhor amigo, meu melhor conselheiro, minha rocha. Nós cuidamos muito bem um do outro ¿ em parte porque nos complementamos. Eu o ajudei a ser mais organizado. Ele me ajudou a ser mais paciente.

Michelle Obama, descrita por familiares e amigos, é ao mesmo tempo Mulher Maravilha e mulher comum. Empresária de sucesso, ela é vista como dedicada às filhas Malia, 10, e Sasha, 7, adorada pelo marido e criada pelos pais dentro dos valores da classe trabalhadora.   

Ela é a pessoa mais agradável que eu conheço, disse Yvonne Davila, 49, que conhece Michelle Obama desde que trabalharam juntas no escritório do prefeito de Chicago, Richard M. Daley, há 18 anos.

Ao mesmo tempo, Michelle recebe muitas críticas. Os oponentes de Obama atacaram quando ela disse em fevereiro que pela primeira vez na minha vida adulta, eu realmente estou orgulhosa do meu país. A campanha de Obama alegou que a declaração se referia ao orgulho de os americanos estarem se envolvendo no processo democrático.   

É um comentário que os republicanos irão lembram muito durante as eleições.  

A este do Colorado, pessoas que perderam seus empregos quando uma fábrica de picles fechou em 2006, se perguntam qual o papel de Michelle. Ela estava no conselho de diretores da TreeHouse Foods, que fechou o aparato.   

Depois que todos começaram a perder o emprego, nós começamos a ouvir que ela tinha muito a ver com isso, disse Michelle Barela, 45, de La Junta, que trabalhou na fábrica por 15 anos.  

Jen Psaki, porta-voz de Obama, disse ao The Dever Post em 2006 que o voto de Michelle não foi o único e nem teve peso decisivo no assunto.   

Passado familiar

Filha de Fraser e Marian Robinson, Michelle Obama cresceu em um apartamento de um quarto em cima da casa da tia em South Side, Chicago.    

A filha dos Robinson aprendeu a ética do trabalho duro, especialmente do pai de Michelle Obama, que foi diagnosticado aos 30 anos com esclerose múltipla e continuou a trabalhar como operador de bomba no departamento de água de Chicago, contou o irmão de Michelle, Craig Robinson, 46. 

Como resultado, disse, ele e a irmã aprenderam que você é sortudo se você pode se levantar e ir trabalhar. Você não deve reclamar de nada quando seu pai tem esclerose múltipla, levanta e vai trabalhar todos os dias.

Michelle ganhou uma bolsa de estudos na Universidade de Princeton, depois foi estudar na Escola de Direito de Harvard e foi trabalhar numa empresa chamada Sidley Austin LLP, onde conheceu Barack Obama em 1989 quando ela foi designada sua mentora.    

Eles disseram a ela que esse garoto brilhante de Harvard estava chegando, contou o autor Kearns Goodwin, que conversou com Michelle Obama durante a Convenção Nacional Democrata de 2004. Ela sentiu que seu trabalho de alguma forma era colocá-lo abaixo algumas estacas, mantê-lo na linha.  

No primeiro encontro dos dois, eles foram ver o filme do diretor Spike Lee, o Faça a Coisa Certa, e tomaram um sorvete. Poucos meses depois, Michelle pediu que seu irmão avaliasse seu novo namorado.   

Ela disse, Ei, leve-o para um jogo de beisebol e depois me diz o que achou dele, relembra Robinson, treinador de beisebol na Universidade Estadual de Oregon.   

O pai, disse Robinson, acredita que o beisebol revela a personalidade da pessoa.    

Eu achei que ele era bastante confiante, mas não arrogante, disse Robinson. Eu achei que ele tinha um bom senso de equipe.    

Os Obama se casaram em 1992. O casamento fez deles mais fortes, acredita Robinson. Eles se complementam de uma maneira que os fazem melhores coletiva e individualmente, disse o irmão de Michelle.  

Por Anne C. Mulkern

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG