Michelle dá sinais do estilo e agenda pública que adotará como primeira-dama

WASHINGTON - Ela comemorou seu 45º aniversário em um vagão de trem antigo, em meio a balões, papel crepon colorido e uma multidão que gritavam seu nome.

The New York Times |


Ela dançou diante do Memorial Lincoln ao som de "Higher Ground" de Stevie Wonder com seu marido e suas filhas aplaudindo a seu lado. Ela montou pacotes com presentes para soldados alocados no Iraque e Afeganistão e, neste longo fim de semana de comemorações, se maravilhou com o fato de que em breve será a face pública da primeira família americana.

No Dia da Posse, Michelle Obama se tornará a primeira mulher negra a assumir o papel de primeira-dama, uma mulher com poder de influenciar a identidade da nação, suas tendências de moda, suas causas de caridade e sua percepção das mulheres negras e suas famílias. Os primeiros sinais de seu estilo e agenda pública já começam a aparecer.

Ela contratou uma equipe de conselheiros com experiência política e um decorador comprometido a criar uma sensação familiar em sua elegante nova casa. Ela delineou a ideia de uma Casa Branca cheia de crianças e americanos comuns, enquanto sugeriu que pode delegar algumas tarefas tradicionais da primeira-dama a sua equipe: como a escolha das porcelanas e a prova das comidas.


Obama e Michelle no Memorial Lincoln durante cerimônia no domingo / AP

Ela decidiu moldar seu programa público com a ajuda de um diretor de políticas que se mostrou preocupado com o preconceito sistêmico e corporativo contra as minorias e pediu o fortalecimento das leis contra a discriminação no local de trabalho.

Além disso, ela ressaltou o tom informal que espera que caracterizará seu tempo na mansão executiva assinando seus emails simplesmente como "Michelle."

Michelle Obama, advogada educada em Harvard e ex-executiva hospitalar, deixou claro que suas duas filhas são sua prioridade. As causas que prometeu promover  (a ampliação do voluntariado e o apoio às famílias dos militares e de pais trabalhadores) estão dentro das plataformas tradicionalmente defendidas por primeiras damas. Mas a equipe que reuniu está preparada para lidar com um programa sério e orientado por tarefas.

"Sua experiência irá guiar as coisas que ela fará e é única em uma primeira dama", disse Paul Schmitz, amigo de longa data. "Ela entende a necessidade das comunidades de baixa renda. Ela entende as necessidades das mulheres. Ela equilibrou a família com a carreira".

"Ela irá pensar muito sobre como usar seu púlpito", disse Schmitz, que coordena a Public Allies, uma rede de treinamento para jovens adultos sem fins lucrativos. "Eu acho que este é o desafio. Agora ela será a mulher mais proeminente dos Estados Unidos. O que isso significa? O que ela fará?"

Por RACHEL L. SWARNS

Análises

Opinião

Leia também:

Galerias de fotos

Vídeos

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG