McCain pressiona Obama no último debate presidencial americano

O senador John McCain usou o último debate da campanha presidencial, que aconteceu na noite de quarta-feira, para atacar e questionar o caráter do senador Barack Obama, seu julgamento e prescrições políticas, num confronto que foi de longe o mais disputado de todos.

New York Times |


Demonstrando em alguns momentos uma raiva perceptível e em outros uma determinação metódica, McCain pressionou seu oponente democrata sobre impostos, gastos, o tom da campanha e sua ligação com o líder do grupo Weather Underground, William Ayers, usando quase todas as chances a sua disposição para alterar o rumo da disputa que parece favorecer cada vez mais Obama.

Mas Obama manteve uma postura plácida e, muitas vezes, estupefata (ainda que aparentemente forçada) ao responder aos ataques e continuou com sua consistente afirmação de que McCain representaria uma continuação das políticas impopulares de Bush, especialmente em relação à economia.

Reuters
Candidatos discutiram principalmente temas domésticos
Candidatos discutiram principalmente temas domésticos

Isso preparou o terreno para um dos momentos mais agitados da noite, quando, em resposta à declaração de Obama de que McCain repetidamente apoiou as políticas econômicas de Bush, o candidato republicano quase se levantou da cadeira para dizer: "Senador Obama, eu não sou o presidente Bush. Se você queria disputar o cargo com o presidente Bush deveria ter se candidatado há quatro anos".

Reconhecendo que McCain tem diferenças em relação a Bush, Obama continuou dizendo: "A questão é que eu confundo suas políticas com as políticas de George Bush, simplesmente porque nos principais assuntos econômicos que importam para o povo americano - tributação, energia, prioridades orçamentárias - você sempre foi um grande defensor do presidente Bush".

O debate tocou em diversos assuntos domésticos, incluindo o aborto, as indicações judiciais e a mudança climática, bem como a economia, com os candidatos deixando claras as diferenças entre si.

Mas também foi possível perceber dois temperamentos muito diferentes:
Obama manteve sua postura serena, mantendo a calma de forma quase professoral, enquanto McCain se mostrou mais emocional, talvez numa tentativa de denotar paixão, mas revelando certa inconsistência em seu tom e se arriscando a parecer irritado.

Os candidatos sentaram lado a lado apenas com o moderador, Bob Schieffer da CBS News, entre eles no palco da Universidade Hofstra.

O tom da noite foi capturado pela imagem veiculada numa tela dividida na qual Obama, fez o melhor para manter a postura durante os ataques, e McCain pareceu acuado e irritado, respirando fundo, de forma impaciente.

  • Minuto a minuto: veja como foi o terceiro debate
  • Saiba tudo sobre a corrida à Casa Branca
  • Leia mais sobre eleições nos EUA


      Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG