McCain já fez sua escolha e deve se pronunciar até sexta-feira

WASHINGTON ¿ O senador John McCain já escolheu seu vice, disseram na quarta-feira dois estrategistas republicanos ligados à campanha de McCain. Espera-se que ele revele sua escolha na sexta-feira em um comício em um estádio de basquete em Dayton, Ohio.

The New York Times |

A decisão de McCain é conhecida apenas pelo seu pequeno círculo de assessores, não mais que três ou quarto pessoas que se recusaram a discutir publicamente o assunto.

Republicanos próximos à campanha disseram que os mais cotados continuam os mesmos três que foram motivo de especulações por semanas: o ex-governador Mitt Romney de Massachusetts, o governador Tim Pawlenty de Minnesota e, possivelmente, o senador Joseph I. Lieberman, independente de Connecticut.

Não está claro quão sério McCain estava considerando seu amigo Lieberman, que é a favor do aborto e essa escolha pode causar revolta entre os delegados na Convenção Nacional Republicana na próxima semana em Minneapolis e St. Paul assim como causar um retrocesso entre os conservadores cristãos, um bloco crucial para o Partido Republicano.  

Mas na terça-feira, McCain disse que ainda está entretido com idéia de escolher Lieberman, que foi o vice-presidente de Al Gore durante a disputa pela indicação democrata em 2000.

Sobre essa opção, Lieberman pode ajudar McCain a receber apoio das mulheres, dos independentes e dos democratas conservadores em um ano duro para os candidatos republicanos. Essa opção está realmente viva na cabeça de McCain, disse um consultor republicano familiarizado com as escolhas da campanha. 

Outros republicanos disseram que suspeitam que, independente das visões pessoais de McCain, seus assessores estariam divulgando Lieberman como parte de uma campanha de desinformação para movimentar o interesse na escolha e para aparentar que McCain, um opositor de longa data do aborto, está aberto a todas as possibilidades e tende a escolher um candidato independente. 

Alguns republicanos também disseram que Lieberman não se entusiasmou como candidato em 2000 e que ele pode ter perdido mais eleitores, principalmente os evangélicos, do que atraído. 

O círculo de McCain descreveu o candidato como dividido, apesar de um republicano ligado à campanha ter dito que não houve nenhum debate interno acalorado. Independente das opiniões dos assessores, McCain foi aconselhado a tomar a decisão por si só. 

Romney continua sendo o mais falado das opções entre seus partidários e na TV a cabo, em grande medida devido a teoria de que ele poderia ajudar McCain em Michigan, um Estado crucial nessas eleições e onde o pai de Romney foi governador. 

Mas Pawlenty ganhou importância no correr do dia por causa dos pontos fracos de Romney, particularmente pela sua riqueza, enquanto muitos americanos enfrentam problemas financeiros, e seu passado como administrador de capitais de risco. McCain foi atacado pelos democratas nesse assunto depois que ele foi incapaz de dizer em uma entrevista quantas casas ele possuía. 

(A campanha de McCain disse que ele tem quatro casas, e a campanha de Obama disse que ele tem 8, contando aquelas que sua mulher tem. Romney disse na quarta-feira que tem um a menos que John Kerry, o candidato democrata à presidência em 2004, o que significaria quatro.)

Doze casas entre eles, dois homens ricos, é quase como caçar peixe em balde, disse Ed Rollinsestategista republicano que liderou a campanha de Mike Huckabee este ano.

O Politico.com divulgou na quarta-feira a noite que Karl Rove, guro político de Bush de longa data, ligou para Lieberman insistindo para que ele retirasse seu nome da lista de considerações, um pedido que Lieberman recusou.

Rove, que tem fortes laços com diversos assessores de McCain, há muito considerou os muitos eleitores evangélicos que deverão ser perdidos pela coalizão republicana com a escolha de Lieberman.

Uma pessoa próxima a Lieberman, que falou em condição de anonimato quando foi encontrada pelo telefone na quarta-feira a noite, repetiu uma descrição parecida, e disse, Lieberman riu da sugestão, e certamente não pediu para sair da disputa.

Um porta-voz de Rove negou as informações da reportagem. 

Por ELISABETH BUMILLER e MICHAEL COOPER

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG