McCain faz primeira aparição pública depois de derrota

O senador John McCain anunciou que concorreria à presidência em fevereiro de 2007 no programa The Late Show With David Letterman da rede CBS. Na terça-feira, em sua primeira aparição pública depois do discurso de concessão no dia 4 de novembro, ele ofereceu a conclusão de sua campanha no programa The Tonight Show With Jay Leno da rede NBC.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

 O senador John McCain anunciou que concorreria à presidência em  fevereiro de 2007 no programa "The Late Show With David Letterman" da  rede CBS. Na terça-feira, em sua primeira aparição pública depois do  discurso de concessão no dia 4 de novembro, ele ofereceu a conclusão  de sua campanha no programa "The Tonight Show With Jay Leno" da rede  NBC.

Além de uma indicação sútil de sua própria "personalidade", McCain se  recusou a especular sobre os motivos que o levaram a perder a eleição.

Ele defendeu sua colega de disputa, a governadora Sarah Palin do  Alasca, que alguns de seus consultores culparam anonimamente pela  derrota. "Você esperava que políticos independentes permanecessem na  linha?", ele questionou antes de dizer que "não podia estar mais  satisfeito com Sarah Palin" e que a identificava como parte de jovens  governadores, como Bobby Jindal da Louisiana e Tim Pawlenty de  Minnesota, que representam "a próxima geração do nosso partido".

Ele acrescentou: "Nosso partido tem muito trabalho a fazer. Nós  acabamos de voltar de uma batalha".

'Como um bebê'

McCain também reciclou uma piada que usou muitas vezes ao longo da  campanha para descrever seu estado mental depois que perdeu as  primárias republicanas de 2000. "Eu tenho dormido como um bebê", ele disse. "Eu durmo duas horas,  acordo e choro".

McCain elogiou o presidente eleito Barack Obama como a inspiração de  "milhões de jovens" e ecoou o pedido de união que fez em seu discurso  de concessão: "Agora é o momento da América se unir e apoiar o homem  que elegeu como presidente".

Dizendo que "algo que os americanos não querem é um mau perdedor",  McCain falou sobre voltar ao Senado.

Ele também falou sobre seu colega senador Joseph I. Lieberman de  Connecticut, independente que votava com os democratas e cuja posição  pode ter sido prejudicada após seu apoio a McCain. Sobre a especulação  de que Lieberman possa entrar para o partido republicano, McCain disse: "Eu acho que Joe continuará a ser o que sempre foi: um  independente que se posiciona de acordo com o que acredita".

Quando Leno questionou McCain sobre uma possível candidatura em 2012,  quando terá 76, ele respondeu: "Eu acho que não, meu amigo. Essa foi  uma ótima experiência, mas nós temos uma nova geração de líderes e eu  espero apenas poder colaborar".

Por SARAH WHEATON

Leia mais sobre John McCain

    Leia tudo sobre: mccainobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG