McCain fala sobre política externa na semana de férias de Obama

HONOLULU - Nos últimos dias, enquanto o senador Barack Obama parecia ter sumido de cena para aproveitar suas férias reclusas no Havaí, o senador John McCain aproveitou todas as oportunidades que teve para mostrar sua posição na política externa em relação ao conflito entre a Rússia e a Geórgia.

The New York Times |

Apenas uma vez, no começo da semana, Obama falou publicamente sobre o assunto, quando saiu da casa que alugou diante do mar para condenar a atuação da Rússia de forma que pareceu coordenada com o fechamento das notícias do jornal noturno.

Ele não respondeu perguntas cujas respostas poderiam demonstrar que ele estava no comando da questão. Por outro lado, McCain falou sobre o assunto quase diariamente, adotando uma postura dura contra a Rússia a ponto de declarar : "Somos todos georgianos".

Parece até que a imagem dos candidatos foi invertida. Quando Obama esteve no exterior em julho, as declarações de McCain sobre política externa diminuíram, mesmo que apenas por não conseguirem a atenção da mídia como o democrata. Agora, a voz de Obama parece emudecida num momento em que grande parte do mundo observa o conflito com grande apreensão.

Um porta-voz disse que Obama interrompeu suas férias diversas vezes para se informar sobre a situação e que manteve "contato constante" com seus conselheiros de segurança nacional a respeito do assunto. Ele falou com a secretária de Estado Condoleezza Rice, o presidente da Geórgia Mikheil Saakashvili, o ex-senador Sam Nunn, o senador Richard G. Lugar e o antigo secretário de defesa William J. Perry.

McCain respondeu perguntas sobre a questão diariamente, confrontando críticas sobre sua posição dura ser uma reminiscência da Guerra Fria. Mas a fluência com que discutiu a Geórgia, citando a história da região e o número de vezes que esteve por lá, lhe emprestou uma aura de comandante da nação. Como se já estivesse no poder, McCain afirmou ter enviado seus aliados senadores Joseph I. Lieberman e Lindsey Graham ao país.

McCain, pressionado pelos repórteres, resistiu às oportunidades que teve de criticar a forma como Obama lidou com a situação na Geórgia.

A semana de Obama aconteceu fora dos holofotes, um enorme contraste com sua campanha até agora. Na quinta-feira ele visitou uma reserva natural e e aproveitou o clima para surfar. Além disso, ele jogou golf, fez caminhadas na praia com suas filhas, jantou em restaurantes de Honolulu com sua mulher e amigos e visitou sua avó quase diariamente.

Ele realizou apenas dois eventos de campanha, um para a arrecadação de fundos e um comício de boas-vindas que foi rapidamente adicionado a sua agenda.

Por MICHAEL FALCONE

Leia mais sobre Geórgia - eleições nos EUA


    Leia tudo sobre: eleições nos euageorgiageórgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG