McCain ataca fama de Obama em campanha eleitoral

WASHINGTON - Depois de passar a maior parte do verão buscando uma linha de ataque eficiente contra o senador Barack Obama, o senador John McCain deu início a uma nova e agressiva campanha para definir o democrata como arrogante, fora de contato com a realidade e despreparado para a presidência.

The New York Times |

Na quarta-feira, a campanha de McCain lançou uma nova propaganda que sugere (de forma ruim) que Obama é uma celebridade comparável à Britney Spears e Paris Hilton. O Comitê Nacional Republicano inaugurou um novo website anti-Obama chamado Audacity Watch (Observador da Audácia, em tradução literal), uma brincadeira com o título do livro do candidato democrata "The Audacity of Hope" (A Audácia da Esperança, editora Larousse do Brasil).

Num esforço concentrado, representantes da campanha atacaram Obama em diversas questões, como sua política de impostos e propostas energéticas, em entrevistas na televisão, releases à imprensa e mensagens de e-mail.

Essa medida representa a maior tentativa da campanha de McCain em definir Obama negativamente, sob seus próprios termos, ao criar uma narrativa que busca fazer com que o público se volte contra seu oponente.

Apesar de Obama ter passado o último ano sob os holofotes, ele ainda é relativamente novo na cena nacional e as pesquisas mostram que apesar de todo o entusiasmo que gerou entre seus partidários, muitos eleitores ainda têm dúvidas sobre ele, dando aos Republicanos uma chance de moldar sua imagem em grupos importantes como os eleitores brancos da classe média operária.

A campanha de McCain se encontra agora sob a liderança de membros da campanha de reeleição do presidente Bush, como Steve Schmidt, o czar do gabinete de guerra de Bush que incansavelmente pintou seu oponente, o senador John Kerry de Massachusetts, como decadente, elitista e equivocado, através de uma série de ataques diários no rádio e internet que foram cuidadosamente coordenados com as propagandas de Bush na televisão.

No final da quarta-feira, Obama lançou uma propaganda resposta citando críticas editoriais aos recentes ataques de McCain e na qual a narradora diz: "John McCain, a mesma política de sempre, as mesmas políticas falhas".

Ao ser questionado pelos repórteres sobre a nova propaganda de McCain, Obama disse: "Eu percebo que ele não parece ter algo muito positivo para dizer a respeito de si mesmo".

A nova postura foi bem recebida por alguns republicanos. "Eles agora estão numa posição em que geram notícia e não simplesmente reagem a elas", disse Brian Jones, ex-assistente de McCain.

Mas alguns temem repercussões e McCain não gosta de seguir um roteiro. "Pode ser a estratégia de marketing da Coca-Cola que tentam usar para vender Dr. Pepper", disse John Weaver, ex-estrategista de McCain.

Por JIM RUTENBERG

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG