Martin Luther King ganha monumento de homenagem em Washington

Obra em memória do ícone da luta pela igualdade racial nos EUA foi aberta ao público no National Mall e será inaugurada no domingo

The New York Times |

Agora nós sabemos: o arco do universo moral é longo, mas leva a uma clareira pitoresca ao lado da Tidal Basin, com o Monumento a Washington como sentinela.

Depois de mais de duas décadas de captação de recursos, planejamento e construção, o Monumento a Martin Luther King Jr. foi oficialmente aberto ao público no National Mall.

O monumento será inaugurado no domingo em uma cerimônia que deve atrair milhares de pessoas de todo o país. Mas alguns de seus primeiros admiradores foram vistos na segunda-feira, quando centenas de moradores da cidade e visitantes ficaram em fila esperando sua vez de dar uma olhada na estátua.

"Eu queria fazer parte desta história", disse William Wilson, funcionário do governo federal aposentado. "Essa é a arquitetura do progresso."

A inauguração, que irá incluir um discurso do presidente Barack Obama, coincide com o aniversário do 48º aniversário da Marcha de Washington e o famoso discurso de King - "Eu tenho um sonho" - pronunciado no Memorial Lincoln.

O monumento é o primeiro no National Mall em homenagem a um afro-americano, disse Harry E. Johnson, presidente da fundação responsável pela sua montagem, e isso faz da ocasião algo especialmente emocional para muitos.

"Isso é importante para mim como um negro americano", disse Jerome McNeil, que estava lá na segunda-feira tirando fotografias para seus netos. "Não é apenas uma estátua, é um símbolo do que podemos fazer se colocarmos nossas mentes em algo."

Em 1996, o Congresso autorizou a criação do monumento no National Mall e a Alpha Phi Alpha, uma fraternidade afro-americana, criou uma fundação para concretizar essa homenagem.

Lei Yixin, um escultor chinês, foi escolhido para criar a escultura de 30 pés, e um o arquiteto Ed Jackson Jr. projetou o layout, que inclui uma livraria, uma parede com citações de Martin Luther King Jr. e cerca de 200 cerejeiras. O custo foi de US$ 120 milhões e os organizadores disseram que ainda estão tentando arrecadar os últimos US$ 5 milhões.

Segundo Jackson, o projeto deu forma à frase do discurso de King "Com essa fé nós poderemos extrair da montanha do desespero uma pedra de esperança".

No monumento, ele explicou, Martin Luther King Jr. é visto saindo da pedra de esperança. Os dois enormes montes ligeiramente atrás dele formam uma espécie de passagem para a estátua, representando assim a montanha de desespero.

Alguns visitantes disseram não terem gostado do fato de o monumento estar de frente para o Memorial de Jefferson, e não para o Memorial Lincoln, mas McNeil disse não se importar. "A única coisa que eu não gosto é que preciso esperar até 11h para entrar", disse ele.

*Por Sabrina Tavernise

    Leia tudo sobre: martin luther kingeuawashingtonmonumento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG