Manhattan quer substituir Las Vegas como opção para casamentos

NOVA YORK - Alguém encaixou um iPod em caixas alto-falantes e acordes de Vivaldi preencheram a sala na qual um jovem casal (ela em um minivestido branco e sapatos peep toe, ele de calças pretas, camisa marrom e uma rosa branca na lapela) se uniu.

The New York Times |

"Este lugar é muito bonito", disse a noiva, 22, observando os candelabros, o balcão de bronze e as colunas de mármore. "Isso é realmente muito romântico para mim", disse o noivo, Carlos Sanchez, 27.

The New York Times
Casal se une no cartório reformado de Manhattan

Essas palavras eram usadas raramente para descrever o antigo cartório de casamentos de Manhattan, um espaço apertado com chão de azulejos quebrados e cadeiras de plástico que fica em um prédio do governo diante da Prefeitura.

Mas, com baixo orçamento e a necessidade dos dólares dos turistas, a gestão do prefeito Michael R. Bloomberg criou um palácio de  casamentos de 2 229.67 m², na esperança de aumentar o número de casais que querem se casar na cidade.

"Nós queremos ser o destino número um do mundo para casamentos", disse a vice-prefeita Patricia E. Harris.

Não é apenas a taxa de US$25 cobrada para os casamentos que tem vendido rapidamente. Esqueceu da banda? Sem problema. O novo cartório oferece uma de plástico por US$9. Flores? Por U$4 ou US$7 é possível comprar uma e o buquê da noiva custa entre US$25 e US$50. Spray para os cabelos também está disponível (US$4), câmeras digitais descartáveis (US $16.25) e lenços, a US$1.75 o pacote, para os chorões.

O projeto de US$12 milhões, acompanhado pelo arquiteto Jamie Drake, responsável pela casa de Madonna em Los Angeles e a de Bloomberg em Upper East Side, envolveu a renovação do antigo Departamento de Veículos Motorizados.

Drake criou duas capelas separadas da rotunda do prédio. Na capela leste, o sofá e as paredes são pêssego e salmão. Na capela oeste, púrpura e lavanda. Cada capela tem uma pintura abstrata que combina com as cores da parede e fica diante do balcão onde são realizadas as cerimônias.

Banheiros foram transformados em caros trocadores, com espelhos de corpo inteiro e outros para a maquiagem, com iluminação especial.

A cidade preparou até mesmo uma fotografia gigante da Prefeitura para que fotos sejam feitas diante dela.

Oficiais da gestão Bloomberg se recusaram a estimar quanta verba os casamentos irão gerar e em quanto tempo. Mas a agência de marketing da cidade, a NYC & Company, já conseguiu uma parceria com o website TheKnot.com, que preparou um pacote de viagem que inclui o casamento no local.

"Eu tenho um alerta para Las Vegas: Cuidado", disse Carley Roney, fundador do TheKnot.com. "Com essa iniciativa o mundo pode ter uma nova capital casamenteira".

O cartório emitiu 66,600 certificados de casamento no ano passado e realizou cerca de 40,000 uniões em todos os cinco distritos, 16,000 no cartório de Manhattan, mostram as estatísticas da cidade.O Condado de Clark, que inclui Las Vegas, emitiu 106,000 no mesmo período.

Ainda que o número de licenças emitidas em Nova York tenha aumentado 4,000 entre 2005 e 2007, caiu cerca de 20,000 na região de Las Vegas, de acordo com estatísticas de ambas cidades. Ainda assim, Las Vegas continua a ser o principal destino para casamentos do país e as uniões são o segundo maior negócio da cidade, depois dos jogos de azar.

"Os casamentos representam uma indústria de US$72 bilhões neste país", disse Roney. "Apesar do que tem acontecido por causa da crise econômica, as noivas irão manter seus planos".

Leia mais sobre: casamentos

    Leia tudo sobre: the new york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG