Maconha medicinal volta a perder espaço na Califórnia

UKIAH, Califórnia - Não há local mais amigável para a maconha do que o condado de Mendocino, onde a planta é cultivada até atingir 4,5 metros, clubes de maconha medicinal são vistos ao longo das estradas e o cheiro adocicado de cannabis toma as ruas durante a colheita do outono.

The New York Times |

A maconha medicinal foi legalizada de acordo com uma lei estadual votada pelos eleitores da Califórnia em 1996 e desde então 11 outros Estados seguiram o exemplo, mesmo que as leis federais ainda proíbam a venda de qualquer espécie da erva. Alguns moradores frustrados e autoridades locais dizem que a lei californiana facilitou a proteção legal de enormes plantações de maconha -e os problemas que uma operação como essa podem atrair.

"Isso é um escudo para operações comerciais", disse Mike Sweeney, 60, defensor da maconha medicinal e de uma votação no dia 3 de junho que pedia novos limites para a droga em Mendocino. "Nós não queremos isso aqui."

O resultado da votação ainda não foi declarado, uma vez que os votos ainda estão sendo contabilizados, mas um retrocesso comunitário é cada vez mais comum até mesmo nas comunidades mais liberais.

De acordo com a lei de 1996, conhecida como Proposta 215, os pacientes precisam de prescrição para comprar maconha medicinal, mas a lei fornece poucas regras para determinar como essa negociação deve ser feita. Isso fez com que pacientes com prescrições passassem de pequenas plantações para uso próprio à criação de clubes que tornam a erva amplamente disponível e agricultores que adotaram a plantação em larga escala para suprir essa população.

Em Arcata, casa da Universidade Humboldt State, os idosos locais dizem que uma em cada cinco casas tem "plantações internas", com quartos ou mesmo toda a estrutura convertida em estufas para a plantação de maconha.

A mudança no cultivo, causada em parte pelas enormes apreensões de plantações abertas, tem sido culpada pela falta de moradia para os estudantes, incêndios e o poderoso -e distrativo- cheiro da planta em alguns bairros durante a colheita.

Em maio, Arcata declarou uma moratória aos clubes para permitir ao conselho municipal tempo para lidar com o problema. Los Angeles, que tem mais de 180 clubes de maconha registrados, a maior quantidade no país, também declarou moratória no ano passado.

Isso dito, cerca de 80 cidades californianas adotaram moratórias aos pontos de cultivo e venda, com outras 60 proibindo sua atividade como um todo, de acordo com a Americans for Safe Access, organização que defende o uso medicinal da maconha para pesquisa e tratamento. Além disso, 11 condados também adotaram alguma forma de proibição e moratória.

Por JESSE McKINLEY

    Leia tudo sobre: maconha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG