Lojas adotam programas de troca para impulsionar vendas

Por muitos motivos, o programa do governo federal que trocava materiais velhos por dinheiro foi um sucesso neste verão: consumidores amaram a ideia de economizar em um carro novo, ajudando o meio-ambiente e garantindo economia futura em combustível. Também havia a conveniência de conseguir tudo isso em uma única transação.

The New York Times |

NYT

Móveis velhos são expostos para serem trocados por dinheiro

O conceito é forte e mistura incentivos financeiros com o apelo emocional de se descarregar de algum objeto antigo e comprar algo novo em troca - além de ajudar o planeta no processo.

Agora, uma série de lojas de móveis esperam capitalizar de motivações semelhantes ao apresentar programas de trocas para tudo, de centros de entretenimento ultrapassados a colchões usados e manchados.

Na Ruby & Quiri, umas loja familiar de móveis de Johnstown, Nova York, os clientes recebem um cartão de US$ 25 de presente por cada móvel usado que entregarem, ou US$ 50 para a compra de eletrodomésticos econômicos.

Na Pacific Manufacturing de Phoenix, que vende materiais de decoração de interior, um móvel usado representa 10% de desconto para os clientes na compra de um novo produto ou colchão e, depois que o material usado é entregue a uma instituição beneficente local, um recibo de dedução fiscal.

Programas parecidos têm aparecido em lugares como Portland, Oregon e Lexington, junto com variações como Crédito por Colchões Usados, Dinheiro por Sofás Velhos e o que alguns varejistas chamam de "Dinheiro por Utensílios de Cozinha".

NYT

Homem reforma móvel velho que poderá ser reutilizado

"As ferramentas de vendas, como os tradicionais 25% de desconto, não estão funcionando agora", disse Warren Shoulberg, editor da revista Home Furnishing, especializada no setor de móveis.

Ele disse que promoções bem-sucedidas "são as coisas que não foram testadas antes" e certamente a troca de material usado funciona mais do que US$ 5 mil de desconto em um carro. É um novo gancho".

Um fator importante no apelo destes programas, segundo gerentes de loja que os experimentaram, é o alívio que oferece aos consumidores de emoções envergonhantes: a culpa pelo consumo.

Dao Engle de New Canaan, Connecticut, recentemente comprou um sofá novo para o escritório de sua casa pelo programa à base de troca da loja Lillian August, que começou no dia 28 de agosto e acontece até o dia 4 de outubro. Ela e o marido foram motivados não apenas pelo desconto no novo sofá, mas pela chance de dar um bom uso ao antigo.

"Era um sofá perfeitamente bom mas a cor e o tamanho não eram exatamente perfeitos para o nosso espaço", ela disse. "Servia ao propósito, por isso nós o mantínhamos ali". Mas Engle disse que ela sempre planejou substitui-lo "eventualmente".

Ela descreveu o programa à base de troca como "um bom estímulo para impulsionar a mudança. O fato de você estar dando isto para uma boa causa e recebendo um abatimento me fez ver que este é o momento para fazer isto".

Engle comprou um sofá novo por aproximadamente US$ 1.500, antes dos 10% desconto, bem como dois travesseiros extras de US$ 100 cada. Até agora, a loja vendeu mais de 50 sofás por meio desta promoção.

Leia mais sobre venda de móveis

    Leia tudo sobre: móveistrocavenda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG