Lobistas dos EUA contratam republicanos antes de eleições

Com os democratas em risco de perder o controle do Congresso, muitos lobistas correm para garantir futuro com republicanos

The New York Times |

Com os democratas em risco de perder o controle do Congresso, algumas agências de lobby de destaque, grupos comerciais e empreiteiras já estão agindo para trazer mais republicanos a bordo para amparar seu destino político.

Lobistas, consultores políticos e recrutadores dizem que a atual taxa de contratação de republicanos – principalmente membros atuais ou antigos da Câmara – aumentou significativamente nas últimas semanas, com salários começando em US$ 300 mil e chegando a US$ 1 milhão para as posições do setor privado.

A empreiteira militar Raytheon acaba de contratar como seu principal lobista em Washington um ex-assessor republicano do Congresso, e o Wal-Mart e a Target estão em busca de republicanos para melhorar o quadro de funcionários de seus escritórios em Washington, de acordo com consultores com conhecimento das negociações.

Em uma cidade construída sobre conexões, o aumento no interesse é uma reviravolta para os republicanos, que no primeiro ano da administração Obama tiveram dificuldade em encontrar empregos políticos de alto nível no setor privado e foram considerados algo semelhante a exilados políticos.

Com as pesquisas indicando uma forte presença para os republicanos em novembro, eles “se tornaram mais relevantes", disse Drew Maloney, presidente-executivo da Ogilvy Relações Governamentais, uma agência de lobby de Washington.

Se os republicanos conseguirem recuperar o controle da Câmara, e talvez até mesmo do Senado, as empresas que procuram influência sobre as políticas federais buscam ganhar vantagem ao passar para a direita. Isso será particularmente importante, segundo eles, se os republicanos tentarem reverter algumas das principais iniciativas na área da saúde, a regulamentação de negócios e outras áreas que os democratas passaram pelo Congresso no ano passado.

Novas batalhas sobre grandes legislações também significariam provavelmente uma bonança financeira para lobistas e consultores políticos, que se revelaram praticamente imunes aos problemas econômicos do país. Com os principais debates legislativos em Washington, a receita para mais de 13 mil lobistas subiu mais de 5% no ano passado, chegando a US$ 3,5 bilhões, e continuou a subir até a primeira metade deste ano, de acordo com o Centro de Política Responsiva, um grupo de pesquisa não partidário.

Diversas companhias e grupos comerciais estão em busca de republicanos entre agora e novembro, segundo caça-talentos e lobistas. (Executivos da Target e Wal-Mart, entre as empresas mencionadas, não quiseram comentar seus planos de contratação.)

Consultores políticos ressaltam que, enquanto a demanda por republicanos está em ascensão, uma mistura de fatores, incluindo a experiência do Congresso em áreas críticas como a saúde ou a reforma financeira, entra em cena juntamente com a filiação partidária para preencher postos de trabalho de relações governamentais.

Empreiteiros privados que querem concessões de trabalho do governo estão particularmente apreensivos sobre sua identificação com um partido ou outro, e algumas empresas que recentemente contrataram republicanos negam que a política partidária tenha sido um fator de motivação.

* Por Eric Lichtblau

    Leia tudo sobre: euaeleiçõesrepublicanosdemocratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG