Lista gera reação nervosa entre hispânicos de Utah

Relação de pessoas descritas como "imigrantes ilegais" tem origem desconhecida e é alvo de investigação

The New York Times |

The New York Times
O porta-voz do Serviço de Recursos Humanos, Dave Lewis, diz que a agência investiga a origem da lista
Uma lista de 1.300 residentes de Utah descritos como imigrantes ilegais tem semeado medo entre alguns hispânicos da região e gerou uma investigação sobre suas origens e sua disseminação.

Cada página é encabeçada pelo título "imigrantes ilegais", e cada linha contém detalhes sobre as pessoas constantes da lista - do seu endereço e número de telefone a sua data de nascimento e, no caso de mulheres grávidas, as respectivas datas previstas para o parto.

A carta foi recebida por policiais e meios de comunicação na segunda e terça-feira.

Um porta-voz do governador Gary R. Herbert disse na quarta-feira que uma investigação está em andamento para descobrir se funcionários públicos podem estar envolvidos na liberação de informações privadas.

Um memorando que acompanha a lista afirma que ela foi compilada por um grupo auto-intitulado Concerned Citizens of the United States (Cidadãos Preocupados dos Estados Unidos, em tradução livre). O grupo pede a deportação imediata das pessoas mencionadas, bem como a publicação de seus nomes pela imprensa.

A nota disse que uma versão anterior da lista foi enviada a agentes federais de imigração em abril e prometeu que mais nomes serão divulgados.

"Vamos observar e ouvir", o grupo prometeu às autoridades no comunicado. "Nós não somos violentos, nem apoiamos a violência", a carta diz ainda.

Uma porta-voz da Agência de Alfândega e Imigração dos Estados Unidos confirmou que o órgão recebeu uma carta do grupo no início de abril.

A lista foi divulgada em um momento de crescente tensão sobre a imigração ilegal, tanto em Utah quanto no resto do país, e duas semanas antes do Estado vizinho Arizona instituir uma lei nova que visa combater a imigração ilegal.

O governo federal abriu um processo judicial contra a lei do Arizona. Em Salt Lake City, um grupo de legisladores do Estado está elaborando um projeto com base nela.

O Proyecto Latino de Utah, uma dos mais importantes organizações de defesa dos imigrantes no Estado, recebeu muitos telefonemas nervosos na quarta-feira.

As pessoas tinham ouvido falar sobre a lista, mas porque nenhuma organização de notícias publicou o seu conteúdo completo, portanto a pergunta principal era: Eu estou nela?

"Nove chamadas perdidas, esta manhã", disse Tony Yapias, diretor do grupo, olhando para seu telefone celular durante uma entrevista em seu escritório.

A maioria das pessoas que ligaram, segundo ele, não estava na lista.

Uma mulher disse que não saber o que pode acontecer em seguida é a pior coisa.

"O que vai acontecer?", ela questiona.

Yapias, ex-diretor do Gabinete de Assuntos Hispânicos do Estado, afirmou estar convencido de que a lista veio dos Serviços de Recursos Humanos do Estado, uma agência que combina candidatos a emprego, empregadores e pessoas que procuram assistência, como vale-refeição ou Medicaid.

Um porta-voz do Serviço de Recursos Humanos, Dave Lewis, disse que uma equipe de especialistas em informação está procurando por padrões nas redes da agência - para ver se a formatação de um computador pode fornecer pistas sobre a origem do documento ou sua criação e se houve alguma atividade incomum de pessoas que acessam as informações dentro da agência.

Por Kirk Johnson

    Leia tudo sobre: utahimigraçãoestados unidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG