Líder da oposição do Zimbabue perde reunião

JOHANNESBURG ¿ O presidente do Zimbabue, Robert Mugabe, impediu que o líder da oposição Morgan Tsvangirai presenciasse as conversas da divisão de forças nesta segunda, na Suazilândia (estado no sudeste da África), ao se recusar a lhe dar seu passaporte, disseram oficiais da oposição em conferência com a imprensa.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Eles chamaram a recusa persistente de Mugabe ao se apropriar dos documentos de viagem de Tsvangirai, que foi designado para servir o Zimbabue como primeiro-ministro sob um acordo de divisão de forças, de um sintoma de sua recusa em se comprometer a governar com o partido de oposição, Movimento pela Mudança Democrática.

Tendai Biti, secretário-geral do partido de oposição, disse que Tsvangirai não irá participar dessa série de reuniões em Suazilândia com o comitê sênior do bloco regional de nações, Comunidade de Desenvolvimento Sul-Africana, conhecida por SADC, mesmo que oficiais convençam o presidente a dar o passaporte a Tsvangirai.

Em vez disso, a oposição está convocando uma reunião de emergência das 14 nações que formam o grupo regional. Alguém tem que colocar juízo na cabeça de Mugabe, disse Biti. Tsvangirai foi visto tentando conseguir novo passaporte das autoridades do Zimbabue desde julho. Na semana passada, durante quatro dias de negociação, Tsvangirai e seus representantes pediram diversas vezes a Mugabe e seu oficial intermediador na crise do Zimbabwe, Thabo Mbeki, ex-presidente da África do Sul, que devolvessem seu passaporte para que ele pudesse viajar livremente, disseram oficiais da oposição.

Biti disse que o passaporte está sob a posse do escritório de Mugabe e não foi devolvido a Tsvangirai. Arthur Mutambara, líder de uma facção pequena de oposição que está participando das reuniões, também condenou Mugabe por não dar o passaporte a Tsvangirai. Mutambara, que foi entrevistado por celular enquanto esperava seu vôo para Suazilândia, disse que iria pedir ao corpo regional, conhecido como SADC, para cancelar o encontro.

Segundo ele, o SADC deverá defender as peripécias de Mugabe. Já estamos cheios e cansados das besteiras de Mugabe. Como você tem um primeiro-ministro a quem o passaporte é negado?

A ausência do líder da oposição no encontro da Suazilândia levantou questões mais profundas sobre se Mugabe e Tsvangirai estarão aptos a governar juntos mesmo que prosperem em dividir os ministérios entre os partidos.

Mbeki, que recentemente foi forçado pelo próprio partido, o Congresso Nacional Africano, a se demitir, passou quatros dias da última semana inspecionando negociações em Harare, capital do Zimbabue. Ele intermediou o acordo de divisão de forças, mas falhou em solucionar o impasse.

 Nas reuniões que ocorreram no fim de semana, Tsvangirai contou a seus apoiadores que Mugabe foi firme. Mesmo antes de sua ausência ser confirmada, um dos negociantes de Mugabe, Patrick Chimasa, tentou subestimar a influência que o grupo regional tem no processo.

Eles não podem nos impor nada, especialmente em algo tão pequeno como a distribuição de ministérios, essa fala foi colocada entre aspas em um jornal estadual, o Sunday Mail.

No editorial do veículo, foi reconhecido que o governo estava em um estado de paralisia, com um sério declínio nos serviços de saúde e educação uma vez que a maioria dos civis empregados está agora no ócio como ovelhas sem pastor.

A economia do Zimbabue está em desordem, com a inflação anual em um balanço com porcentagem de 231 milhões.

Por CELIA DUGGER

Leia mais sobre Robert Mugabe

    Leia tudo sobre: zimbabwe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG