Kennedy desiste de candidatura ao Senado americano

NOVA YORK - Caroline Kennedy anunciou na manhã desta quinta-feira que está desistindo da consideração para a cadeira vaga no Senado pelo Estado de Nova York, surpreendendo o mundo político da cidade depois de semanas nas quais foi considerada uma das principais candidatas ao cargo.

The New York Times |

Kennedy ligou na quarta-feira para o governador David A. Paterson, responsável por escolher o substituto da senadora Hillary Rodham Clinton, para informar que não tem mais interesse na posição.

"Eu informei o governador Paterson hoje que por motivos pessoais estou desistindo da consideração para o Senado dos Estados Unidos", disse Kennedy em uma declaração divulgada por sua empresa de relações públicas.

Uma pessoa ciente da decisão de Kennedy disse que sua preocupação a respeito da saúde de seu tio, o senador Edward M. Kennedy, que sofre de câncer cerebral e foi hospitalizado depois de sofrer uma convulsão na terça-feira, fez com que ela desistisse.

Caroline Kennedy acreditava que o cargo seria seu se ela o aceitasse, disse essa pessoa, mas assessores de Paterson não quiseram comentar se isso é verdade.


Caroline pode ter desistido devido à saúde do tio, Edward Kennedy / NYT

A notícia pareceu pegar o governador despreparado, gerando confusão entre a gestão Paterson que fez relatos divergentes à mídia. Depois de diversas conversas entre sua equipe e a de Caroline, ela pareceu reconsiderar a desistência e preparar uma declaração que reafirmava seu interesse no cargo. Mas por volta da meia-noite, ela decidiu deixar claro que havia desistido da posição e divulgou uma declaração dizendo isso.

A decisão de Kennedy acontece quase dois meses depois que ela, juntamente com diversos membros do Congresso e outros políticos, passaram a pedir o apoio do governador pela cadeira do Senado. Ela atraiu muita atenção e era vista como uma das mais prováveis escolhas de Paterson, dada sua estatura nacional e elos com a gestão Obama.

Caroline Kennedy conseguiu o apoio de muitos poderosos do Estado, inclusive do principal assistente do prefeito Michael R. Bloomberg, Kevin Sheekey.

Mas sua candidatura ao cargo também recebeu muita resistência, com alguns oficiais democratas sugerindo que não era merecedora da posição.

Por NICHOLAS CONFESSORE e DANNY HAKIM

Leia mais sobre Caroline Kennedy

    Leia tudo sobre: caroline kennedykennedy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG