Julgamento de magnata russo teve fraude, diz assistente de juiz

Para defesa de Khodorkovsky, empresário do setor petroleiro que desafiou Putin, demonstra manipulação do Judiciário pelo Executivo

The New York Times |

A assistente do juiz que presidiu o mais recente julgamento de Mikhail B. Khodorkovsky, o magnata do petróleo preso há oito anos depois de desafiar Vladimir V. Putin, foi a público na segunda-feira alegando que os superiores do juiz a pressionaram a definir uma sentença mais dura.

A assistente, Natalya Vasilyeva, disse que o juiz foi controlado por altos oficiais judiciais que determinaram sua decisão. Vasilyeva disse que no Sistema Judicial é amplamente sabido que o processo foi manipulado desde o início.

AP
Mikhail Khodorkovsky é visto atrás de um vidro em tribunal de Moscou, na Rússia (27/12/2010)
O juiz, Viktor N. Danilkin, "tinha de se comunicar com o Tribunal de Justiça da Cidade de Moscou em todas as questões polêmicas que surgissem durante o julgamento", disse Vasilyeva. "Isso é, quando algo acontece, quando algo dá errado ou não sai como deveria, ele teria de informar o Tribunal de Justiça da Cidade de Moscou e, claro, em seguida, recebia instruções sobre como agir".

Ela fez esses comentários para o jornal online Gazeta.ru e para o canal de televisão a cabo Dozhd, onde foi descrita como assistente de Danilkin e sua porta-voz.

O juiz negado a pressão, e disse que os comentários de Vasilyeva são caluniosos. "As declarações de Vasilyeva são uma mentira que podem ser refutadas legalmente, isto é, com uma ação judicial", disse ele à agência de notícias Interfax.

Prisão

Khodorkovsky, que já foi o homem mais rico da Rússia, está preso desde 2003, depois que desafiou Putin, na época presidente e hoje primeiro-ministro do país.

Ele foi condenado por fraude fiscal em 2005 e a sentença deveria acabar no fim deste ano. Mas os promotores o julgaram novamente no ano passado e Danilkin declarou-o culpado em dezembro de peculato envolvendo sua empresa de petróleo, a Yukos. O juiz emitiu uma nova sentença que irá mantê-lo na prisão até 2017.

Os advogados de Khodorkovsky têm dito repetidamente que o segundo julgamento foi uma farsa e que o Kremlin ordenou as novas acusações para garantir que Khodorkovsky não estaria em liberdade nas próximas eleições legislativas e presidenciais. Eles disseram que o caso demonstrou como o sistema judicial é manipulado pelo poder executivo.

Os comentários de Vasilyeva pareciam oferecer provas disso. "Danilkin começou a escrever a sentença, mas as autoridades superiores não gostaram de alguma coisa e, por isso, ele recebeu uma nova sentença, que deveria executar”.

Vasilyeva disse que sabia que iria perder seu emprego por causa da entrevista. Mais tarde, um porta-voz do tribunal disse que Vasilyeva havia pedido demissão de seu cargo.

*Por Clifford J. Levy

    Leia tudo sobre: rússiaputinkhodorkovskyjulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG