Jornalismo participativo ganha voz em campanha presidencial

Um serviço online de jornalismo participativo que procura inovar as abordagens do jornalismo, celebra um ano este mês e começa a interferir na campanha presidencial.

The New York Times |

O projeto é um braço do jornal The Huffington Post e, apesar dos erros, desenvolve conhecimento tecnológico e organizacional que o torna uma forte mídia na medida em que desafia os padrões do jornalismo tradicional. 

Há um ano, o número de correspondentes era de aproximadamente 300: hoje, o OffTheBus.net tem cerca de 7.500 correspondentes. 

Arianna Huffington, que ajudou a desenvolver o projeto, atribui o crescimento ao zumbido criado por Mayhill Fowler, uma de suas correspondentes. Em abril, Fowler foi a primeira a noticiar o comentário do senador Barack Obama sobre os eleitores amargos das pequenas cidades.

Os números começaram a crescer com Mayhill, e depois aceleraram, disse Huffington. Ela se tornou uma correspondente novata que fala para cidadãos comuns, mas que tem capacidade de impactar a campanha presidencial. 

Os novos recrutamentos deram ao OffTheBus.net uma grande capacidade de promover reportagens distributivas e colaborativas onde muitos contribuintes trabalham juntos em um artigo ou uma reunião de fotos.

A diretora do site, Amanda Michel, 30, é o cérebro organizacional por trás do exército que cresce a cada dia. 

O projeto de reportagens colaborativas inclui um breve artigo, baseado em um dia acompanhando a campanha de Obama ao redor do país, que mostrou que os eleitores democratas estavam mais preocupados com a economia que com a guerra do Iraque, além de um perfil de cada um dos 800 superdelegados democratas.  

Nós não estamos tentando substituir outros tipos de cobertura, disse Michel. Mas, fazendo uso da web e de redes públicas, estamos tentando identificar melhores oportunidades para o jornalismo.

Problemas

Nem todos estão contentes com a ascensão do jornalismo participativo. Um comentário em um post do OffTheBus.net que procura correspondentes, diz: É tudo que precisamos. Jornalistas que não são pagos e não são profissionais.

Marc Cooper, coordenador editorial do site e professor de jornalismo na Escola Annenberg de Comunicação da Universidade de Sul da Califórnia, declarou que a falta de profissionalismo e treinamento tem sido problema em alguns casos.

"Muitas pessoas não sabem como escrever muito bem, disse Cooper. Eles não sabem como fazer um reportagem adequada, não sabem as perguntas corretas a serem feitas em entrevistas.

Ainda assim, alegou que esse grupo é tem um jornalismo muito sólido e irá se tornar, em algum momento, uma importante ferramenta para os principais veículos de comunicação. 

Enquanto o seu responsável, o The Huffington Post, obviamente prefere Obama a McCain, segundo Cooper, o OffTheBus.net é um esforço jornalístico e não tem compromissos políticos. Seus correspondentes são encorajados a expor suas crenças políticas e afiliações. Segundo Cooper, esse é um comportamento mais honesto que fingir que os jornalistas não têm opinião, como fazem muitos dos grandes veículos de comunicação.

Leia mais sobre: jornalismo participativo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG