Japão recicla lixo eletrônico em busca de minerais raros

Tóquio busca alternativas em meio à crise diplomática com a China, que bloqueou as exportações para o país

The New York Times |

Duas décadas depois de a competição global ter levado as minas de Kosaka à extinção, essa parte do Japão está novamente repleta de rumores sobre novos tesouros.

Esses tesouros são na verdade elementos raros e outros minerais encontrados na terra que são cruciais para muitas tecnologias japonesas e, até agora, eram importados quase exclusivamente pela China, líder mundial em mineração de minerais raros.

The New York Times
A Dowa Holdings, empresa de mineração de Kosaka há mais de um século, construiu usina de reciclagem

A esperança desta cidade por um retorno da mineração não se encontra no subsolo, mas no que o Japão chama de mineração urbana – a reciclagem de metais e minerais valiosos das enormes reservas de equipamentos eletrônicos usados do país, como telefones celulares e computadores.

"Nós literalmente descobrimos ouro em telefones celulares", disse Tetsuzo Fuyushiba, ex-ministro da terra e agora membro do partido da oposição, que recentemente visitou Kosaka para o levantamento da usina de reciclagem.

Os objetivos de Kosaka se tornaram especialmente importantes para o Japão nas últimas semanas. No mês passado, em meio a uma crise diplomática com Tóquio, a China começou a bloquear as exportações de certos minerais raros para o país.

Corte

O corte tem causado problemas em fábricas japonesas porque as matérias-primas são cruciais para produtos tão diversos quanto carros híbridos elétricos, turbinas eólicas e telas de computador.

Em Kosaka, a Dowa Holdings, empresa de mineração local há mais de um século, construiu uma usina de reciclagem com uma fornalha de 200 metros de altura que derrete antigos componentes eletrônicos para a extração de metais valiosos e outros minerais. As peças recuperadas vêm de todo o Japão e do exterior, inclusive dos Estados Unidos.

Embora o Japão seja pobre em recursos naturais, o Instituto Nacional de Ciência dos Materiais, um grupo de pesquisa ligado ao governo, diz que equipamentos eletrônicos usados no país contêm estimadas 300 mil toneladas de minerais raros. Embora esse valor seja pequeno se comparado às reservas da China, responsável por 93% dos minerais raros do mundo, fazer uso dessa mineiração urbana pode ajudar a reduzir a dependência do Japão de seu vizinho, dizem analistas.

*Por Hiroko Tabuchi

    Leia tudo sobre: reciclagemminériosinformáticajapãochina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG