Internet deve receber dinheiro de plano de resgate americano

WASHINGTON - À primeira vista, talvez nenhuma frase do plano de resgate de quase US$ 900 bilhões que espera aprovação no Capitólio parece oferecer uma forma mais perfeita de impulsionar a economia do que a que menciona os bilhões de dólares que serão usados para a expansão da internet de banda larga nas regiões rurais ou urbanas de pouco acesso.

The New York Times |

Os proponentes dizem que isso criará empregos, construirá  uma infra-estrutura crucial e começará a cumprir uma das principais promessas de campanha do presidente Barack Obama: a expansão das vias de informação por todo o país.

Mas especialistas alertam que o esforço em levar a banda larga a zonas rurais pode facilmente se tornar uma ponte cibérnetica de US$ 9 bilhões que "liga o nada a lugar nenhum", representando o pior tipo de erro que os legisladores podem fazer ao aprovar rapidamente um dos maiores projetos de gastos da história sem considerar seus resultados.

"A primeira regra do investimento em tecnologia é passar tempo entendendo o usuário final, o que ele precisa e em que condições usará o que lhe for oferecido", disse Craig Settles, analista do setor e consultor que estudou aplicações de banda larga em áreas urbanas e rurais. "Se não fizer isso bem, acabará jogando milhões ou, neste caso, bilhões de dólares no lixo. Gastará dinheiro em coisas que as pessoas não precisam ou não podem usar".

As propostas de ampliação do serviço de banda larga formam um caso útil para estudo, ao contrário de outros programas propostos, os possíveis benefícios de uma rede de acesso mais ampla são certos. Ainda assim, os defensores não podem simplesmente deixar de lado as possíveis armadilhas, como o fato de que levará até 2015 para que todo o dinheiro seja gasto na infraestrutura necessária para se oferecer o serviço (limitando o alcance do estímulo).

"Eu vejo uma motivação para se tentar estimular a economia", disse Brett Glass, fundador do Lariat.net, um serviço provedor de  internet em Laramie, Wyoming, que defende a ampliação do acesso à banda larga. "Eu acho que isso é uma coisa boa. Mas também vejo uma motivação para dar dinheiro nas mãos de certas grandes corporações que fazem um bom lobby".

Outros críticos disseram que o esforço não irá oferecer uma rede de informação realmente nacional, que alguns grupos dizem que custaria cerca de US$ 100 bilhões, tampouco um impulso a curto prazo para a economia, por causa dos muitos requerimentos que precisam ser cumpridos ao se usar o dinheiro federal na instalação de redes de banda larga.

Defensores da medida dizem que os possíveis benefícios do acesso à banda larga são maiores do que os riscos.

"A banda larga pode ser a maior equalizadora entre zonas rurais e urbanas", disse o representante Mike McIntyre, democrata da Carolina do Norte que é presidente de um subcomitê de desenvolvimento rural. "As áreas rurais tendem a ser esquecidas".

Por DAVID M. HERSZENHORN

Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: internet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG