Veículos como ambulâncias são equipados com explosivos e utilizados em atentados arquitetados

Pela segunda vez em dois dias, as forças de segurança iraquianas foram atacadas por um homem-bomba, há duas semanas, quando uma ambulância explodiu diante de um quartel da polícia na província de Diyala, norte de Bagdá.

A explosão matou pelo menos cinco pessoas e feriu outras 76, segundo Duler Al-Hassan, vice-presidente do comitê de segurança do Conselho da Província de Diyala. Parte do edifício foi destruído na explosão.

O atentado deixou uma cratera de quase dois metros de diâmetro, indicando uma carga de cerca de 205 quilos de explosivos, de acordo com uma fonte na divisão de explosivos da polícia iraquiana.

Testemunha da explosão, Saad Al-Qiasi disse que a ambulância estava se movendo muito rapidamente em direção à entrada principal do edifício do Serviço de Proteção de Recursos em Baquba, capital da província, dirigida por um "homem barbudo com um rosto sombrio".

Dentro do prédio, Imram Ahmed, um funcionário do órgão, descreveu a explosão como uma "trompeta da morte”. "Nós sentimos que a vida tinha acabado e que era o Dia do Julgamento", disse ele. "Tudo desmoronou".

Alerta

Um oficial de inteligência em Diyala, disse que a polícia havia recebido relatos de quatro veículos equipados com explosivos na cidade há cerca de duas semanas atrás, mas que não conseguiu evitar o ataque.

"O que aconteceu mostra que as medidas de segurança implementadas não são suficientes ", disse o oficial, falando sob condição de anonimato por não estar autorizado a falar sobre o assunto. Ele acrescentou que a polícia ainda procura os outros três carros.

*Por John Leland

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.