Tamanho do texto

ADAMS TOWNSHIP, Pensilvânia ¿ É seguro dizer que na última semana foi a primeira vez que a American Civil Liberties Union (ACLU) da Pensilvânia registrou uma ação federal em benefício dos instrutores de dança do poste.

Mas Witold J. Walczak, diretor de assuntos legais da organização, disse que os assuntos envolvidos eram comuns a muitos casos. Por que a ACLU está aqui? perguntou Walczak. A simples razão é que isso envolve o ensino, e essa atividade está protegida pela Primeira Emenda da Constituição.

A instrutora Stephanie Babines, 30, teve negado seu pedido de abrir um estúdio de dança na cidade. A ACLU entrou com uma ação na justiça para derrubar essa decisão. 

Há dois anos, Babines, programadora de computador e analista de negócios, começou a oferecer aulas de dança do poste, dança de strip-tease, salsa e outras formas de dança e ginástica. As aulas eram dadas a noite e nos finais de semana na casa das pessoas e em um espaço alugado em um estúdio de dança. 

Eu amo fazer com que as pessoas se sintam melhor com elas mesmas, disse a professora de dança. Ao longo das aulas, o corpo delas mudam. Elas começam a perder medida na cintura. Elas começam a entrar em seu jeans apertado.  


Instrutora teve pedido negado porque sua dança era considerda "para adultos" / NYT

Os negócios, particularmente as aulas de dança do poste que ganharam popularidade em todo o país, estão indo tão bem que ela deixou de lado seu mestrado em educação básica e decidiu abrir seu próprio estúdio. A professora de dança encontrou um espaço em um centro comercial em Adams Towship ¿ um pequeno subúrbio a 40 quilômetros de Pittsburgh.

Mas em março, uma autoridade da comissão de zoneamento da cidade, Gary Peaco, negou a permissão de ocupação, alegando que o estúdio de Babines era para adultos e deveria estar a mais de 305 metros de distância de bares e áreas residenciais.

De acordo com a ação, um recurso anterior na comissão de zoneamento da cidade em maio e junho, Peaco disse que tomou sua decisão depois de notar as cores preto e rosa no site de Babines e o sapato de salto alto no logotipo do estúdio.

Além disso, Peaco testemunhou que apesar das aulas de dança não envolverem nudez e não terem platéia, o estilo da dança era provocativo e envolvia insinuação sexual. Peaco não retornou às mensagens deixadas na sua casa.  

Sem explicação, os três membros da comissão de zoneamento negaram unanimemente o recurso da professora em 29 de julho. 

Esse é em todos os sentidos um estúdio de dança, disse Walczak. A única razão pela qual eles não querem Babines na cidade é pelo fato dos representantes da cidade não gostarem de algumas danças que ela ensina.

O presidente da comissão de zoneamento, Jeff Brown, rejeitou essa visão. A comissão de zoneamento aplica a leis de zoneamento de Adams Township, disse, é isso que nós fizemos.  

Brown, arquiteto de 51 anos, reconheceu que existem outros três estúdios de dança do poste na área de Pittsburgh, e centenas ao redor do país. 

Essa é a beleza desse país. Cada cidade ou comunidade pode fazer sua própria lei, disse. E tenho certeza que o que é permitido em São Francisco e outros lugares é diferente do que a gente faz aqui em Adams Township.   

Por SEAN D. HAMILL

Leia mais sobre dança do poste

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.