Instalação quer tornar reciclagem mais interessante

Artista exibe em Nova York um "experimento psicológico" de reciclagem

The New York Times |

Como fazer algo mais interessante do que uma lixeira que vira piscina?

Para David Belt, que causou furor no verão passado com a instalação de piscinas feitas de lixeiras em uma localização semi-secreta do bairro do Brooklyn, a resposta estava mais uma vez no lixo.

Seu mais novo projeto, chamado "Glassphemy!" (Glasfêmia, em tradução livre) está sendo tratado como um experimento psicológico de reciclagem.

The New York Times
Pessoas observam a obra "Glassphemy!", exibida em Nova York

A ideia é transformar a reciclagem em algo mais direto, em uma experiência visceral que ao mesmo tempo descarregue um pouco da agressividade existente em Nova York.

A instalação, que como o projeto anterior foi criada em um espaço privado ao longo do canal Gowanus, é uma caixa transparente de seis por nove metros, com uma moldura de aço e paredes de vidro blindado.

As pessoas se posicionam em uma plataforma elevada no topo da caixa e outras se colocam na outra extremidade mais baixa. Aquelas no topo jogam garrafas de vidro para dentro da caixa - talvez mirando nas pessoas lá embaixo.

As garrafas quebram de maneira fantástica e luzes artisticamente concebidas relampejam. Ninguém se machuca.

"Reciclagem é algo tão chato", disse Belt. "Tentamos fazer dela algo mais interessante". Ele acrescentou que, além do mais, "as pessoas querem quebrar coisas".

Em uma festa pré-inaugural na semana passada, o cineasta Scott Cohen concordou. Cohen jogou cinco garrafas e teve outras jogadas contra ele.

"Você não percebe quanta agressão tem por dentro até que está lá em cima com uma garrafa na mão", ele disse. "Foi algo profundamente, profundamente satisfatório".

Quem ele tentou atingir? "Qualquer um que estivesse no caminho", ele disse. "Muitos rostos me lembravam de pessoas do meu passado e eu simplesmente aproveitei isso. Acho que isso pode servir como uma espécie de terapia".

Com as garrafas doadas por bares da vizinhança, "Glassphemy!" vai abrir oficialmente a convidados no dia 20 de maio. Os estilhaços de vidro serão reciclados no local.

Para concluir o projeto, a revista "ReadyMade" fará uma competição pedindo que os leitores enviem suas melhores ideias e a companhia de Belt criará o design vencedor com o vidro reciclado.

Alguns possíveis usos já foram considerados: os designers da Hecho, uma companhia do Brooklyn, desenvolveram um aparelho que derrete vidro dentro de uma misturadeira de cimento movida por duas bicicletas. Outro aparelho pulveriza o vidro e o transforma em areia que pode ser usada no jardim da cerveja que Belt planeja para o local.

A imediata e visível reutilização do vidro também busca ajudar a acabar com a ideia generalizada de que recicláveis são apenas jogados fora.

Por Melena Ryzik

    Leia tudo sobre: reciclagemmeio ambienteartenova york

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG