Inspirado por eleições, chinês rema até Taiwan

Guo Zhiyoung foi detido pela Guarda Costeira de Taiwan após ter remado em jangada de bambu e isopor por sete horas

The New York Times |

Um morador da China continental foi tão seduzido pelas eleições e pela promessa de democracia que passou sete horas remando pelo mar, em um esforço para ver o acontecimento com seus próprios olhos.

Guo Zhiyong, 35 anos, que se descreveu como um "pesquisador político", foi detido pela Guarda Costeira de Taiwan na manhã de quarta-feira após chegar à ilha de Kinmen, disse um oficial do governo.

Leia também: Pintura reunificada suscita pensamentos grandiosos na China e Taiwan

AP
Candidatos à presidência de Taiwan participam de debate televisionado (3/12)

Guo, que disse às autoridades que vinha da região do extremo oeste de Xinjiang, partiu da província costeira de Fujian em uma jangada feita de bambu e isopor. Segundo as autoridades, seus movimentos foram rastreados pelo radar.

Após sua prisão, ele disse a repórteres de Taiwan que se inspirou a fazer a perigosa viagem para conferir a disputa presidencial de Taiwan, que tem Ma Ying-jeou competindo contra dois adversários. "Eu quero ver essas eleições com bandeiras dos políticos balançando por todos os lados", disse.

As eleições, que acontecem no dia 14 de janeiro, têm despertado grande interesse na China, que é liderada por um governo comunista que deseja amortecer os anseios democráticos de seu povo.

Depois de décadas de regime autoritário, Taiwan - considerada por Pequim como uma província separatista - realizou a sua primeira eleição presidencial direta em 1996. Com cinco semanas faltando, as pesquisas sugerem que a disputa atual está bem acirrada.

No sábado passado, um debate agitado, porém civilizado, entre os três candidatos foi visto por milhões de moradores do continente pela internet - mesmo que muitos dos links para acesso aos vídeo tenham sido eliminados pelos censores do governo.

A julgar pela enxurrada de comentários expressos em sites de microblogs chineses, a população ficou impressionada. "Será que os chineses estão abertos apenas para o despotismo e o totalitarismo?” questionou um espectador. "Basta olharmos para Taiwan."

E o idealismo de Guo parece ter desaparecido após sua prisão. Ao desfilar com algemas perante as câmeras ele deixou claro estar frustrado com sua deportação. "Taiwan e China são um país só", disse, falando por um saco de pano que escondia seu rosto. "Como vocês podem me prender por imigração ilegal?"

Momentos antes de ter sido levado pela polícia, foi questionado sobre o que pensava da democracia de Taiwan. "É horrível", disse.

Por Andrew Jacobs

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG