Indústria automobilística americana sofre pior mês em quase 27 anos

DETROIT - A venda de novos veículos nos Estados Unidos caiu 37% em janeiro chegando a um dos menores níveis em meio século, e apesar das automobilísticas afirmarem que o mercado não deve piorar, elas se preparam para que o resto de 2009 continue assim.

The New York Times |

Este foi o pior mês para o setor desde junho de 1982, e o pior janeiro desde 1963. Pela primeira vez, mais veículos foram vendidos na China no mês passado do que nos Estados Unidos, de acordo com a General Motors.

Mercados de crédito endurecidos e a recessão econômica, agora em seu 14º mês, ainda mantêm muitos consumidores longe das revendedoras e impedem que possíveis compradores adquiram o veículo que querem.

"Alguns sinais mostram que podemos estar perto do fundo do poço", disse Emily Kolinski Morris principal economista da Ford Motor. "Estas condições ainda mostram que as vendas irão continuar assim nos próximos meses".

As vendas caíram 55% na Chrysler e 49% na GM, oferecendo um cenário sombrio enquanto eles apressam planos de reestruturação que precisam entregar ao Departamento do Tesouro em duas semanas. As duas companhias receberam US$13,4 bilhões para evitar a falência e precisam mostrar que estão a caminho da recuperação para evitar a retomada do empréstimo.

Na Ford, que não precisou de ajuda governamental, as vendas caíram 40%. Juntas, as três grandes automobilísticas de Detroit venderam 279.531 carros e caminhões, o mesmo numero que a GM sozinha vendeu em setembro, de acordo com a MotorIntelligence.com, que acompanha as vendas da indústria.

Automobilísticas estrangeiras também sofreram, ainda que menos. As vendas caíram 32% na Toyota, 30% na Nissan e 28% na Honda. Hyundai e Subaru reportaram aumento nas vendas, no entanto.

Por NICK BUNKLEY

Leia mais sobre crise financeira

    Leia tudo sobre: crise financeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG