Idosos se mobilizam para trabalhar como voluntários em Fukushima

Mesmo sem algumas habilidades, japoneses mais velhos correm menos riscos de desenvolver câncer sob exposição à radiação e querem poupar jovens

The New York Times |

Por alguma medida, as milhares de pessoas que lutam para resfriar os reatores nucleares em Fukushima estão envolvidas em trabalhos que os japoneses consideram kitanai, kitsui e kiken - ou sujos, difíceis e perigosos.

The New York Times
Yasuteru Yamada criou o Corpo de Veteranos Hábeis para ajudar em Fukushima
Aparentemente contra a lógica, Yasuteru Yamada, 72 anos, está ansioso pela chance de participar. Depois de ver centenas de homens mais jovens na televisão lutando para controlar os danos na usina de Fukushima Daiichi, Yamada teve uma ideia: recrutar engenheiros e outros especialistas mais velhos para ajudar a domar os reatores.

Eles não apenas têm algumas das habilidades necessárias, mas por causa de sua idade avançada, eles correm menos riscos de desenvolver câncer e outras doenças que se desenvolvem lentamente, como resultado de exposição a altos níveis de radiação.

Sua ação voluntária pouparia japoneses mais jovens de perigos que poderiam deixá-los sem filhos, ou algo ainda pior.

"Temos de conter esse acidente e, para isso, alguém tem de fazer o trabalho", disse Yamada, um engenheiro aposentado que trabalhou em usinas da Sumitomo Metal Industries. "Seria benéfico para a sociedade se a geração mais velha assumisse o trabalho porque ela vai sofrer menos dano por trabalhar lá”.

Semanas após o devastador terremoto e tsunami, ele e Nobuhiro Shiotani, um amigo de infância que também é engenheiro, criaram o Corpo de Veteranos Hábeis no início de abril. Eles enviaram milhares de e-mails e cartas, e até mesmo criaram uma conta no Twitter. Em seu blog, o bouhatsusoshi.jp, Yamada convoca pessoas com mais de 60 anos de idade que tenham "a força física e a experiência necessárias para suportar a carga de trabalho na linha de frente”.

A resposta foi instantânea.Cerca de 400 pessoas se apresentaram como voluntários, incluindo uma cantora, um cozinheiro e um homem de 82 anos de idade. Cerca de 1,2 mil outras ofereceram apoio, enquanto que as doações ultrapassaram 4,3 milhões de ienes (cerca de US$ 54 mil). Seu blog foi traduzido para 12 idiomas.

Papel dos idosos

Embora Yamada, um sobrevivente de câncer de fala mansa, tenha começado com um objetivo simples, ele provocou um debate muito mais amplo sobre o papel dos idosos no Japão, o significado do voluntariado e a realidade cada vez mais clara de que a Tokyo Electric Power Co., empresa responsável pelos reatores, terá dificuldades cada vez maiores para recrutar trabalhadores.

Yamada e sua equipe estão à espera de aprovação para transformar o grupo em uma orgaização sem fins lucrativos e visitar a Daiichi em julho.

The New York Times
Kazuko Sasaki (E), Masaaki Takahashi (C) e Yasuteru Yamada são alguns dos voluntários recrutados para o grupo
*Por Ken Belson

    Leia tudo sobre: japãotremorterremototsunamifukushimaidosos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG