Hillary Clinton promove Obama com poucos ataques a Palin

Em sua primeira participação na campanha desde a Convenção Nacional Democrata, a senadora Hillary Rodham Clinton pediu na segunda-feira que os eleitores da Flórida se oponham aos candidatos republicanos à presidência (não McCain, não Palin), mas evitou criticar os votos das mulheres à candidata, a governadora Sarah Palin.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

A ausência de ataques diretos a Palin já era esperada, dada a relutância de Clinton em transformar sua participação na campanha numa batalha entre duas mulheres. Ainda assim, conselheiros do senador Barack Obama disseram que Clinton é sua melhor arma para contra-atacar a candidatura republicana que busca conquistar os votos das mulheres brancas trabalhadoras que a apoiaram nas primárias democratas.

Palin corteja essas mulheres explicitamente e as últimas pesquisas eleitorais mostram que depois da Convenção Republicana a candidatura McCain-Palin passou a atrair mais atenção dessa faixa da população.

Num comício em Tampa, Clinton foi aplaudida por uma frase que usou em dois eventos na manhã de segunda-feira na região de Orlando, uma versão daquela que cunhou convenção democrata, antes do senador John McCain anunciar a escolha de Palin como sua companheira de disputa.

"Não mesmo, Não McCain, Não Palin!", Hillary Clinton declarou.

Depois que alguém na platéia gritou "Fale sobre Palin", Clinton
respondeu: "Eu não acho que essa eleição seja sobre isso. Qualquer um que acreditar que os republicanos, seja quem forem, podem consertar a bagunça que eles mesmos fizeram provavelmente acredita que o iceberg poderia ter salvo o Titanic."

Clinton falou a uma multidão de 2 mil pessoas, predominantemente composta por mulheres brancas, em Tampa que a Flórida é o "campo de batalha dos Estados disputados". Ela argumentou num discurso de 22 minutos que Obama oferecia melhores planos para a saúde e pagamento igualitário para mulheres do que a candidatura McCain-Palin.

Antes disso, em Kissimmee, num evento comunitário sobre a economia do país, ela atestou que os republicanos propuseram poucas mudanças positivas nas políticas domésticas durante sua convenção em Saint Paul, Minnesota.

"Eu não vi isso no senador McCain e na governadora Palin", disse Clinton numa das poucas referências explícitas a Palin na segunda-feira. "Eu vi mais do mesmo".

Por PATRICK HEALY

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG