Hamas irá pagar compensação a moradores de Gaza

JERUSALÉM - O Hamas afirmou na quinta-feira que irá pagar uma compensação aos moradores de Gaza e ajudar na reconstrução do local, em claro sinal das dificuldades que serão enfrentados por Israel conforme o país tenta enfraquecer o grupo militante depois de sua ofensiva militar.

The New York Times |

Taher Al-Nunu, porta-voz do governo do Hamas em Gaza, disse em uma coletiva de imprensa que o grupo irá distribuir a primeira parcela de um total de US$35 milhões a US$40 milhões em compensações aos moradores de Gaza no domingo. Israel concluiu uma ofensiva de três semanas contra o Hamas no último domingo e retirou suas tropas da área no começo da quarta-feira.

Um conselheiro do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, afirmou na quinta-feira que a "última coisa" que Israel quer é que o Hamas se fortaleça depois da ofensiva militar, que segundo seu país tinha como intenção reduzir a ameaça de ataques com mísseis do grupo.

O conselheiro, que pediu anonimato ao falar a um pequeno grupo de repórteres por causa da delicadeza do assunto, disse que Israel está trabalhando  "extensivamente" em conjunto com a Autoridade Palestina baseada na Cisjordânia e a comunidade internacional para encontrar formas de transferir dinheiro das "forças moderadas" para Gaza para sua reconstrução. O objetivo, segundo ele, seria garantir que a reconstrução não seja creditada ao Hamas.


Moradores de Gaza receberão ajuda para reconstrução da região / AP

Mas o Hamas, como o Hezbollah no sul do Líbano depois da guerra de 2006, está ansioso em melhorar sua situação. O Hamas estima que mais de 4 mil casas foram destruídas e 17 mil danificadas durante a ofensiva. Cerca de 1.300 pessoas foram mortas, de acordo com oficiais médicos em Gaza (os militares israelenses dizem que o número é de cerca de 1.200), e mais de 5.000 se feriram.

Nunu disse que cada família que perdeu uma casa irá receber o equivalente a US$5.200, enquanto aquelas que tiveram suas casas danificadas receberão metade deste valor. As famílias dos mortos receberão quase US$1.300 e as dos feridos quase US$650, ele disse.

Acreditando ter estabelecido um impedimento contra o Hamas, Israel diz que sua próxima prioridade será impedir o tráfego de armas através da fronteira entre Gaza e Egito, impedindo assim a tentativa do grupo de voltar a se armar.

Amos Gilad, oficial sênior do Ministério da Defesa de Israel, se encontrou com oficiais egípcios no Cairo na quinta-feira onde discutiu formas de impedir o tráfego. A ministra do exterior de Israel, Tzipi Livni, esteve em Bruxelas, na Bélgica, na quarta-feira para discutir a questão com autoridades europeias.

Por ISABEL KERSHNER

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG