Grupo ambientalista revela químicos tóxicos em uma série de itens de consumo

Bolas de tênis para cachorros, brinquedos de morder para gatos e bolsas plásticas femininas estão entre os itens domésticos comuns que, de acordo com uma descoberta em testes recentes, contêm químicos tóxicos, divulgou um grupo ambiental não lucrativo, na quarta-feira.

The New York Times |

O Ecology Center, grupo com base em Michigan, anunciou que expandiu seu banco de dados online, heathystuff.org, que mostra 15 mil resultados de testes feitos com mais de cinco mil itens populares.

Mas especialistas independentes em toxicidade se mostraram desconfiados de que a mera presença de químicos tóxicos colocaria a saúde de pessoas ou animais em risco.

Os produtos foram listados em níveis de risco do mais baixo para o mais alto, dependendo da quantidade detectada de materiais como chumbo, mercúrio, arsênico e outros químicos conhecidos por serem nocivos à saúde de pessoas ou animais.

Jeff Gearhart, diretor de pesquisa do centro, conhecido por investigar químicos em brinquedos e carros, disse que decidiu expandir seu banco de dados por causa da intensa demanda do público por informações sobre todos os tipos de produtos.

Gearhart disse que a declaração do centro pretende incentivar os esforços atuais no Congresso em introduzir uma legislação que regulamente rigorosamente químicos tóxicos que contêm em muitos produtos domésticos.

As leis atuais que regulam produtos específicos são medidas paliativas, disse ele. O que realmente precisamos é criar um sistema que não regulamente o produto final, mas sim os próprios produtos químicos.

Ainda assim, muitos especialistas em saúde pública e toxicologia têm dúvida em relação à importância de se encontrar chumbo em bolsas femininas, objeto que tem poucas chances de acabar no sistema digestivo de uma criança.

O Dr. Andrew D. Racine, diretor da divisão geral de pediatria no Hospital Infantil em Montefiore, Nova York, disse que qualquer item com quantidades significativas de chumbo não deve ser dado a crianças. Mas, na maioria dos casos, saber que um produto pode conter quantidades mensuráveis de químicos potencialmente tóxicos não é útil, disse ele.

O que isso significa?, pergunta. Qual o impacto em nossa saúde? Sem saber isso, tudo o que se faz é assustar as pessoas.

Alguns fabricantes reagiram à sua observação de que a divulgação não levou em conta a real exposição ao químico. Por exemplo, Jerry Sciarini, gerente de qualidade da OurPet, fabricante de um rato de brinquedo para gatos, protestou pelo item estar listado como objeto de alto risco. Ele disse que o chumbo é costurado no brinquedo e depois coberto por uma camada de plástico para proteger o animal.

Não há padrões para animais, mas os comerciantes os veem como integrantes da família e exigem que os tratemos como se fossem, então é isso que fazemos, disse Sciarini.

Ainda assim, Charlotte Brody, diretora nacional da Safer Chemicals, Healthy Families, um grupo de Washington que faz lobby por uma regulamentação mais rígida para fabricantes de químicos tóxicos, disse que é útil que o público tenha informações.

A resposta honesta para esse relatório é que não sabemos qual a importância disso, disse ela. Todo ano descobrimos que o que pensávamos ter um nível seguro de algum químico, no fim, não é seguro.

Se as pessoas estão dizendo que o chumbo é seguro, mesmo em pequenas quantidades, isso não é ciência. É arrogância.

Por LESLIE KAUFMAN e GARDINER HARRIS


Leia mais sobre químicos tóxicos

    Leia tudo sobre: animaissaúdetoxina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG