¿Greatest American Dog¿ mostra humanos barulhentos e esquece os animais

Eu amo, amo, amo cachorros. Eu fiz festas de aniversário para a minha cadela, comprei a ela passagens de avião e sai com ela em datas especiais. Eu paro donos de cachorros na rua para bajular seus filhotes. Eu vejo Super Bowl no domingo, vejo o programa do canal Animal Planet, o ¿Puppy Bowl,¿ que é essencialmente um grupo de filhotes perambulando desinteressadamente entre berços que se parecem com campos de futebol. E assim seguem por horas.

The New York Times |

Portanto, imaginem a minha empolgação quando ouvi que a rede de tv CBS estava criando uma série chamada Greatest American Dog ("O melhor cachorro americano", em português). Tentei esquecer que se tratava de um reality show, um dos gêneros mais repugnantes e destruidores de alma que já foi inventado. 

Com o quarto capítulo sendo exibido nesta quarta-feira (na grade de exibição dos EUA), estou resignada com a intenção do produtor em fazer a série Most Annoying American Dog Owner ("O dono de cachorro mais chato", em português). Claramente, alguém foi inspirado pela comédia de Christopher Guest, Best in Show, um estudo sobre a idiotice humana, e não sobre o amor pelos animais, como a série se propõe. Mas o programa oferece momentos ocasionais de prazer, como a primeira vez que Elvis, o brigão terrier de Nova York, e Andrew, o maltese da Virgínia que tem cabelos de seda e pesa 5 quilos, brincaram juntos na grama, correndo bastante.

Greatest American Dog reúne uma lista típica de competidores, colocando todos juntos numa grande casa na Califórnia e contrapondo uns contra os outros. Entender o que faz uma pessoa assistir o que existe de pior em outras pessoas está além da minha capacidade, mas isso parece ser parte do apelo de realidade. 

Brandy, estilista da Califórnia, é colocada como a Omarosa (a vilã de O Aprendiz dos EUA). Eu não vou tolerar ninguém tocando o meu cachorro, anunciou no primeiro episódio. Ela também não permite que Beacon, seu schnauzer anão, corra por aí sem roupa. Então, agora que todos nós detestamos a Brandy, é satisfatório ver Beacon ser eliminado no número musical canino. E isso é terrível: eu não quero me sentir feliz com o fracasso de um cachorro. 

Até agora, os três jurados - treinadores-autores-editores-advogados de cachorros ¿ parecem estar avaliando (e punindo) as pessoas ao invés dos cachorros. Os primeiro par eliminado, ou expulso da Academia Canina, foi Michael, um aspirante a comediante de San Diego, e o boston terrier, Ezzie. O crime de Michael foi chamar mais atenção que Ezzie cumprindo muito bem o seu papel de anfitrião de seu time durante uma paródia.

Tiveram alguns dramas, como a corrida contra o tempo para levar a machucada Star, uma brittany spaniel, ao veterinário. Bill, autônomo texano e caipira (eu nunca estive num lugar com esse) que aos poucos parece se tornar um ser humano complexo e querido, carregava Star com desespero genuíno.

Provas

Os desafios incluem uma visita ao imaginário restaurante Bone Appetit, onde os cachorros são julgados pela sua obediência ao comando larga isso!; um esforço de equipe para desamarrar coleiras (chato); um jogo em que os donos devem adivinhar se seu cachorro vai pegar ou ignorar certos objetos; uma animada corrida em turnos na qual o cachorro pega o frisbee, pula algumas rodas, desce rampas, atravessa um labirinto e salta veículos que outros cachorros estão dirigindo (tão gracioso!). Um toque aos produtores: mais dessa prova, por favor. Se vocês querem atrair a atenção dos amantes de cachorros, tirem um pouco as câmeras dos donos e dêem mais atenção aos animais.

No episódio desta quarta-feira o desafio é conseguir uma sessão de fotos. Cada cachorro deve expressar uma qualidade ou emoção em particular. Ron, gerente de construção da Califórnia, acha que sabe como fazer isso especialmente quando ele e seu bulldog inglês, Tillman, fingem preguiça. 

Os melhores momentos do Greatest American Dog acontecem quando verdadeiras características animais e humanas aparecem, como, por exemplo, quando dois homens sentados reclamam que Travis, um garçom atraente de Los Angeles, junto com seu boxer, Presley, é o garoto de ouro da competição ¿ mas eles fazem isso de maneira irritada e natural. 

E quando competidores perdem, fica claro que os donos estão arrasados, mais pelos seus cachorros, e sentem que o ser humano desapontou o animal. Esse momento é emocionante.  

Por ANITA GATES

Leia mais sobre cachorro

    Leia tudo sobre: cachorrotv

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG