Governador de Nova York defende projeto para legalizar casamento gay

NOVA YORK - David A. Paterson apresentou na quinta-feira um projeto para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, prometendo se envolver pessoalmente no debate legislativo de maneira incomum para um governador de Nova York.

The New York Times |

Usando o peso de seu gabinete para apoiar a lei que ainda enfrenta inúmeros obstáculos na Assembleia Estadual em Albany, Paterson disse que irá usar os relacionamentos pessoais que desenvolveu ao longo de duas décadas no Estado para que o projeto seja votado (e aprovado). O voto deve deve ser disputado no Senado e alguns defensores da medida dizem que o envolvimento direto de Paterson pode ser a chave.

Em uma coletiva de imprensa na quinta-feira, o democrata Paterson invocou o movimento abolicionista dos anos 1800, os textos de Harriet Beecher Stowe e a decisão de Dred Scott na Suprema Corte para argumentar que Nova York tem negligenciado os direitos civis de gays e lésbicas por tempo demais. "Eu irei parar com isso", ele disse. "Nós temos o dever de garantir que a igualdade realmente exista para todos".

A Assembleia Estadual aprovou o projeto de casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2007 com votação de 85 a 61, uma margem que deve ser ampliada quando a medida for considerada nesta primavera. Mas o caminho no Senado é menos claro: 32 votos serão necessários e, segundo os democratas, cerca de 25 de seus 32 membros atualmente apoiam a medida. Então o resultado pode depender de Paterson e outros defensores da lei persuadirem senadores republicanos relutantes em romper com seus líderes e apoiar o projeto.

Defensores dos direitos dos homossexuais expressaram confiança no envolvimento pessoal de Paterson, apesar de seu ínfimo índice de aprovação e desafios em avançar outros aspectos de sua agenda. Eles dizem que os legisladores muitas vezes se sentem menos pressionados por questões partidárias em assuntos de liberdade civil como o casamento gay.

Paterson frequentemente atribui sua defesa dos direitos homossexuais em parte à amizade que manteve com um casal gay que era amigo de seus pais no Harlem. Ele ainda fala sobre os dois, agora falecidos, com carinho e os chama de tio Stanley e tio Ronald.

Seu investimento emocional foi percebido na quinta-feira em um discurso que comparou o casamento gay com a escravidão, a desqualificação das mulheres e o abandono dos deficientes.

"Nós conhecemos a ira da discriminação", disse Paterson, o primeiro governador negro de Nova York. "Todos nós sentimos a dor e o insulto da raiva. Por isso estamos aqui hoje".


Leia mais sobre casamento gay

    Leia tudo sobre: casamento gay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG