Genghis Khan volta à Mongólia para remodelar imagem do país

TSONJIN BOLDOG, Mongólia - Jesus Cristo abre os braços sobre o Rio de Janeiro, um quarteto de presidentes americanos dá face ao Monte Rushmore e Lênin observa São Petersburgo. Mas se houvesse uma balança gigantesca que pudesse comparar o tamanho das estátuas mundo afora, a Mongólia seria vencedora.

The New York Times |

NYT
Enorme estátua de Genghis Khan é atração turística na Mongólia

Enorme estátua de Genghis Khan é atração turística na Mongólia

Genghis Khan, o legendário cavaleiro que conquistou metade o mundo conhecido no século 13, voltou às estepes da Mongólia e agora ele cobra entrada.

A cerca de uma hora de viagem de Ulan Bator, capital da Mongólia, Khan surge no horizonte inicialmente como um ponto no horizonte, brilhando sobre as planícies como uma miragem cintilante.

Conforme nos aproximamos, sua grandiosidade se torna de tirar o ar: um gigante de 40 metros sobre um cavalo, envolto em 250 toneladas de aço inoxidável. Os visitantes podem até mesmo pegar um elevador para subir em seu torso e admirar a paisagem da estepe mongol de cima de sua cabeça.

"Todos os mongóis têm orgulhoso desta estátua", disse Sanchir Erkhem, 26, lutador de sumô mongol que mora no Japão e posava para fotografias na plataforma durante uma viagem por seu país. "Genghis Khan é nosso herói, nosso pai, nosso deus."

A estátua gigantesca do personagem mais famoso da história da Mongólia, conhecido localmente como Chinggis Khaan, é a última em uma série de monumentos e produtos que apareceram aqui desde que o país se livrou do comunismo, há quase 20 anos.

Aviões agora aterrissam no Aeroporto Internacional Chinggis Khaan, estudantes assistem aulas na Universidade Chinggis Khaan e turistas podem ficar no Chinggis Khaan Hotel. A imagem barbada do khan ilustra latas de bebidas energéticas, garrafas de vodka e maços de cigarro, bem como o dinheiro que paga por tudo isto.

Os políticos têm ansiado pela oportunidade de usar a atração do khan. Em 2006, o governo inaugurou outra estátua do conquistador, desta vez sentado ao estilo Abraham Lincoln na principal praça da capital.

Nos últimos anos, o parlamento debate se o governo deveria reter poder exclusivo para autorizar o licenciamento da imagem de Genghis Khan, embora a legislação ainda precise ser aprovada.

A pressa para venerar e lucrar com o fundador de um grande império transcontinental chega em um momento no qual os mongóis buscam uma identidade nacional, depois de séculos de domínio por poderes estrangeiros.

Sensível a respeito da reputação mundial de Genghis Khan como vilão sanguinário e responsável pela morte de milhares de pessoas, os mongóis estão aproveitando novas oportunidades para recriar sua imagem e a de seu próprio país, que por muito tempo foi obscurecido por seus vizinhos, Rússia e China.

A imensa estátua de aço, parte de um parque temático que irá se chamar Complexo da Estátua Chinggis Khaan, é a manifestação mais ambiciosa e cara de orgulho de Genghis. A Agência de Excursão Genco, uma companhia mongol, gastou cerca de US$ 4.1 milhões na estátua até o momento.

"Se trata de orgulho nacional", disse Damdindorj Delgerma, chefe executivo da Genco. "Os mongóis ficam felizes quando veem esta estátua e agora as pessoas de todo o mundo poderão aprender sobre a importância da história de nosso país".

Leia mais sobre Mongólia

    Leia tudo sobre: estátuamongoliaturismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG