Fervor de 1314 impulsiona movimento por independência da Escócia

Premiê escocês tem esperança de ganhar apoio de 5 milhões em referendo que decidirá o futuro da união com a Inglaterra

The New York Times |

Em um dia bonito, o memorial de granito localizado no topo de um morro na cidade de Stirling, Escócia, oferece um panorama grandioso: a oeste fica o antigo Castelo de Stirling, ao norte as colinas que formam a porta de entrada das Highlands, famoso planalto da região, a leste a capital da Escócia, Edimburgo, e longe ao sul a Inglaterra.

Autonomia: Escócia pode estar perto de sonho de independência

Foi em Stirling que, em junho de 1314, um Exército liderado pelo rei escocês Robert Bruce aniquilou o Exército do rei Edward II da Inglaterra, assegurando a independência da Escócia. A soberania durou às custas de uma história sangrenta até que os dois países se uniram em um único reino, a Grã-Bretanha, cerca de 400 anos depois.

NYT
Estátua do rei escocês Robert Bruce no local onde se deu a Batalha de Bannockburn em 1314
Desde então, a batalha de Bannockburn, batizada em homenagem a um assentamento medieval engolido pela expansão moderna de Stirling, tem sido um símbolo de algo evidente na efervescência popular percebida quando a Escócia e a Inglaterra se enfrentam nos anuais jogos de rugby - ou em qualquer outro concurso que testes os pontos fortes e talentos dos dois povos: que a Escócia nunca vai esquecer, e apenas com relutância irá perdoar, o que foi conquistado em Bannockburn e posteriormente rendido nos Atos da União de 1707.

Pos isso não é de se admirar que o premiê Alex Salmond tenha ancorado suas esperanças de ganhar o apoio da maioria dos 5 milhões de escoceses para o fim da união com a Inglaterra - e o retorno à independência - em um aumento nos sentimentos nacionalistas gerados pelas memórias de Bannockburn.

Referendo

Ao detalhar seus planos para um referendo neste ano, ele estabeleceu um cronograma para a realização do referendo em 2014, quando o 700º aniversário da batalha será comemorado.

Consulta: Premiê quer referendo sobre independência da Escócia em 2014

A data de referendo é apenas uma das questões que coloca Salmond, o político mais popular da Escócia em uma geração, contra o premiê britânico, David Cameron.

Cameron recebeu bem a ideia do referendo, acreditando que a proposta de independência será rechaçada em nome da relutância que os escoceses têm mostrado diante da possibilidade de uma ruptura definitiva com o vínculo constitucional.

"Nós somos mais altos, mais orgulhosos e falamos melhor juntos", disse Cameron em um discurso recentemente. "É por isso que vocês podem amar a Escócia e amar o Reino Unido, estar orgulhosos de sua herança escocesa e de sua herança britânica - como muitos na Escócia o fazem - e ainda assim acreditar que a Escócia está em melhor situação na Grã-Bretanha."

*Por John F. Burns

    Leia tudo sobre: escóciareino unidoindependênciareferendogrã-bretanhainglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG