Falta de fertilizantes ameaça oferta mundial de alimentos

XUAN CANH, Vietnã - Truong Thi Nha tem apenas 1,35 metros de altura. Seus filhos, já crescidos, são mais altos do que ela, bem como a grande maioria dos filhos desta vila próxima a Hanói.

The New York Times |

O grande motivo que leva crianças a serem tão robustas tem um nome: os fertilizantes.

Nha, cuja face aparenta ter mais de 51 anos, disse que seu crescimento foi interrompido ainda na infância devido à fome e desnutrição. Há algumas décadas, a colheita era reduzida e a dieta muito pior.

Depois, a expansão do uso de fertilizantes químicos baratos juntamente com as reformas no mercado, ajudou a impulsionar o boom agrícola aqui, que já ocorrera anteriormente em outras partes do mundo. Houve um aumento das safras de arroz e milho, além da dieta ter se tornado mais consistente.

Agora tais ganhos estão ameaçados em diversos países pela escassez e aumento do preço de fertilizantes, ingrediente essencial da agricultura moderna.

Alguns tipos de fertilizantes quase triplicaram no último ano, interrompendo a compra que muitos produtores necessitavam. Este é um dos muitos fatores que contribuíram para o aumento do preço alimentício, que de acordo com o Programa Mundial de Alimentos da ONU, ameaça colocar aproximadamente mais dez milhões de pessoas carentes em condição de desnutrição.

Protestos contra o aumento dos alimentos emergiram entre todo o mundo moderno, e a estabilidade de regimes, das Filipinas ao Senegal, estão na corda bamba.

Nos Estados Unidos, produtores do Estado de Iowa, desesperados para repor os nutrientes do solo, praticam o antigo método de espalhar esterco de porco pelos pastos e áreas de cultivo. Na Índia, o custo do adubo subsidiado para os agricultores disparou, de modo a desencadear uma vontade generalizada pela reforma das políticas do setor. À medida que a demanda progride, as minas e fábricas de fertilizantes por todo o mundo se mostraram ainda mais ineficientes.

A limitação da oferta de fertilizantes vem se agravando durante os últimos cinco anos. A demanda cada vez maior por alimentos e biocombustíveis encorajou produtores de todas as partes a plantarem ainda mais.

Companhias de fertilizantes estão confiantes de que a falta do produto seja solucionada, e pontuaram que planejam construir outras várias fábricas nos próximos meses, muitas no Oriente Médio, onde o gás natural é abundante. Mas isto criaria novos problemas a longo prazo, na medida em que o mundo se desenvolve cada vez atrelado à dependência dos combustíveis fósseis para a produção de fertilizantes químicos. Além disso, intensificar o uso desses adubos pode gerar ainda mais poluição.

Agricultores e especialistas dizem que o mundo possui poucas alternativas para sua dependência em relação aos fertilizantes. À medida que a população cresce e a nova classe média mundial exige ainda mais comida, os fertilizantes estão entre as estratégias mais efetivas para aumento das colheitas.

- Keith Bradsher e Andrew Martin

    Leia tudo sobre: crise dos alimentos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG