Falso falcão: por que cucos imitam predadores?

Cucos são notáveis parasitas, induzindo outras espécies a cuidar dos seus filhotes, freqüentemente à custa dos filhotes dos hospedeiros. Mas um novo estudo sugere que os pássaros parasitas não são meros oportunistas.

The New York Times |

Como ladrões que gritam fogo! para esvaziar uma loja antes de roubá-la, cucos aparentemente desenvolveram características da plumagem do falcão e traços físicos que temporariamente espantam hospedeiros em potencial de seus ninhos, para que os cucos possam pôr ovos neles e fazer com que outros pássaros cuidem dos filhotes.

Especialistas em aves observaram que os cucos do Velho Mundo parecem alguns falcões pequenos. Até os povos mais antigos já observaram a semelhança. O naturalista romano Plínio, por exemplo, acreditava que os cucos se tornavam falcões no inverno, um conceito que Aristóteles rejeitou argumentando que cucos não têm nem garras, nem bicos curvados.

Uma explicação para a semelhança é o mimetismo defensivo. Cucos são presas deliciosas para os falcões, então qualquer coisa que faça com que eles pareçam mais com falcões e menos com o almoço contribui para sua sobrevivência. Outra possibilidade: em vez de usar o mimetismo para defesa, os cucos usam para melhorar suas chances com suas presas.

Ao se parecerem com falcões de corpos alongados, com asas e cauda grandes, eles assustam espécies menores. Somente neste caso, eles estão mais interessados em afastar suas vítimas do ninho por alguns momentos do que devorá-las.

O novo estudo oferece a primeira evidência para a última explicação. Os zoólogos Justin Welbergen e Nick Davie, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, colocaram vários comedores com amendoim em todos os cantos do bucólico campus da instituição para pássaros das espécies européias chapim-real e abelhuco, bastante comuns, que não se sabe se são alvos dos cucos.

Então, registraram a reação dos pássaros à presença de falcões Accipiter nisus empalhados, um parente próximo do falcão de patas finas, e para os cucos comuns.

Os pássaros pareciam igualmente agitados por um ou outro intruso, desde que os cucos tivessem a barriga listrada, como os predadores. Mas os pequenos pássaros mostraram não ter esse medo com patos ou pombos, mesmo quando os pombos tinham a barriga listrada.

Cucos com as partes inferiores listradas eram tratados como falcões, enquanto indivíduos sem listras eram tratados como pombos inocentes, disse Welbergen, que publicou as descobertas no Proceedings of the Royal Society este ano.

Isso indica que pequenos pássaros ingênuos, sem histórico de parasitismo do cuco, podem confundir cucos com falcões, sugerindo que a discriminação por hospedeiros com um histórico de parasitismo do cuco é uma resposta evoluída antiparasita.

Scott Robinson, do Museu de História Natural da Flórida, em Gainesville, e especialista em parasitas de ninho, afirma que demonstrações experimentais de mimetismo são difíceis. Os pesquisadores britânicos resolveram esse problema muito bem, diz ele. Faz total sentido que os cucos queiram assustar espécies hospedeiras.

Stephen Rothstein, zoólogo da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, oferece outra teoria: ele acredita que o mimetismo pode ser uma forma de evitar a atenção inoportuna de espécies que nas quais os pássaros não têm interesse e que podem alertar potenciais hospedeiros quanto à sua presença.

    Leia tudo sobre: cucosfalcãopredador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG