Ex-prisioneiro perde processo em que alega ter desenvolvido câncer após ser fumante passivo em prisão

NOVA YORK - Um homem conhecido pelas autoridades da cidade por liderar negócios ilegais perdeu uma ação contra a política adotada em relação ao fumo adotada pelo Departamento de Correção de Rikers Island que culpou por seu câncer na bexiga.

The New York Times |

Os jurados votaram 6 a 0 na sexta-feira contra o pedido do homem, Raymond Marquez, que se disse culpado das acusações de incentivar apostas ilegais em 1996 e teve que pagar uma multa de US$1 milhões. Marquez foi preso dois anos depois com acusações similares e passou 29 meses no centro de detenção. Durante esse tempo ele foi exposto à fumaça passiva que levou ao diagnóstico de câncer em 2000, ele disse. (Marquez foi inocentado das acusações contra ele em 1998.)

Naquela época, os prisioneiros podiam fumar nas áreas de convivência. Em 2003, quando a cidade passou a adotar a proibição do fumo em áreas públicas, a prática parou também na prisão.

Marquez, 78, entrou com uma ação de pedindo US$15 milhões apesar de ter sido um fumante por 30 anos. David Marquez, filho e advogado de Raymond Marquez, disse que seu cliente não tragava quando fumava e que quando foi enviado a Rikers já não fumava há 23 anos.

"Há livros médicos, atuais e antigos, que provam que o risco de câncer de bexiga em alguém que fumou dissipa em 20 anos e chega ao nível de um não fumante", disse David Marquez na tarde de terça-feira.

O advogado afirmou que considera apelar do veredito do juri. Ele disse que seu pai não está em fase terminal.

Scot Gleason, principal advogado da cidade no caso, afirmou que convenceu o juri com dois pontos principais.

"Nunca violamos nenhuma lei", ele disse.

Ele também afirmou que persuadiu o juri a considerar as atitudes da sociedade em relação ao fumo na época em que Marquez esteve em Rikers, 1998-2001, e não as de hoje.

"A forma como nós como uma sociedade lidávamos com os fumantes passivos era outra", ele disse, acrescentando que era perfeitamente aceitável fumar no trabalho ou em um restaurante.

Mas David Marquez afirma que o sistema de ventilação em Rikers era inadequado e que as pessoas responsáveis pelo local deveriam manter a ventilação em ordem pois se fumava muito.

"Os responsáveis pela cadeia tinham a obrigação de manter o lugar em condições saudáveis", ele disse.

Desde os anos 1950, Marquez, que era conhecido como Spanish Raymond, estava entre os líderes do jogo ilegal. Ele era uma celebridade do Harlem, usava roupas caras, carros e jóias.

    Leia tudo sobre: the new york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG