Ex-diplomata diz que Geórgia começou guerra contra a Rússia

TBILISI - Um parlamentar que ouvia um depoimento do inquérito sobre as origens da guerra entre Geórgia e Rússia em agosto de 2008, acabou criando confusão depois que ouviu um ex-diplomata testemunhar que as autoridades georgianas foram responsáveis pelo início do conflito. Erosi Kitsmarishvili, ex-embaixador de Tbilisi em Moscou, testemunhou por três horas antes de ser expulso por membros do parlamento.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Ex-confidente do presidente Mikheil Saakashvili, Kitsmarishvili disse que as autoridades georgianas confessaram a ele em abril que planejavam começar uma Guerra na Abkhazia, uma das duas regiões separatistas envolvidas na guerra, e receberam luz verde do governo dos EUA para agir. Ele disse ainda que o governo georgiano decidiu mais tarde começar a guerra na Ossétia do Sul , a outra região separatista, e continuar na Abkhazia.

Ele não nomeou as autoridades que disseram a ele sobre os planos na Abkhazia, alegando que identificá-las poderia colocar a vida delas em risco.

O depoimento de Kitsmarishvili diante da comissão parlamentar, exibido ao vivo pela TV Georgiana, foi feroz e imediatamente negado. Um membro da comissão, Givi Targamadze, atirou uma caneta contra Kitsmarishvili e foi contido pelos colegas


Kitsmarishvili: Geórgia começou a guerra contra a Rússia / AP

O presidente da comissão, Paata Davitaia, disse que poderia iniciar um processo criminal contra Kitsmarishvili por negligência profissional.

O vice-ministro do Exterior Giga Bokeria, que apareceu rapidamente para comentar o depoimento de Kitsmarishvili, chamou as alegações de irresponsáveis e vergonhosamente fabricadas, e disse que eram resultado de falta de informações ou do ressentimento de um homem que perdeu o emprego e quer agora se envolver na política. Kitsmarishvili foi demitido em setembro pelo presidente.

Kitsmarishvili saiu enfurecido na terça-feira. eles não querem ouvir a verdade, disse aos jornalistas.

Troca de acusações

A Rússia e a Geórgia pintaram umas as outras como a agressora. A Geórgia disse que lançou um ataque à capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, porque a invasão russa estava a caminho. Os russos disseram que enviaram tropas ao enclave para proteger os civis e os soldados de paz depois que a ofensiva georgiana começou.


Geórgia abriu inquérito para averiguar a guerra / Arquivo

As forças russas ocuparam a região central da Geórgia e permanecem na Abkhazia e na Ossétia do Sul, que Moscou reconheceu formalmente como nações independentes.

As audiências fazem parte de um inquérito oficial da Geórgia, cujo nome completo é Comissão Temporária para Estudar a Agressão Militar da Rússia e Outras Ações com a Intenção de Infringir a Integridade do Território Georgiano. Muitos funcionários georgianos já testemunharam, e o presidente está previsto para depor na sexta-feira. Kitsmarishvili pediu para comparecer, dizendo que uma recusa a escutá-lo provaria que o inquérito é oco.

Em seus comentários, o ex-diplomata disse que Saakashvili estava respondendo a uma provocação russa, mas que havia planejado há muito tempo tomar o poder nos enclaves. Kitsmarishvili disse que o presidente planejou começar a ofensiva em 2004, mas encontruo resistência no Ocidente e em autoridades georgianas.

Kitsmarishvili disse também que acredita que autoridades americanas aprovaram a ofensiva. Quando ele tentou verificar a informação com diplomatas americanos em Tblisi, Kitsmarishvili recebeu a resposta que tais autorizações não foram dadas.

Por OLESYA VARTANYAN and ELLEN BARRY

Leia mais sobre Geórgia - Rússia

    Leia tudo sobre: georgiarússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG