Escândalo de investimento envolve nome do Hezbollah e envergonha partido

TURA, Líbano - O investidor, um homem vestindo uma camisa pólo cinza, se acomodou na cadeira de plástico de sua loja de materiais de construção e suspirou, incapaz de explicar como as economias que fez durante toda a vida desapareceram tão rapidamente.

The New York Times |

"É um desastre, um tsunami", ele disse. "Alguns fazendeiros hipotecaram suas terras e trouxeram dinheiro. Outros venderam as casas que herdaram e trouxeram dinheiro. Professores abriram mão de suas poupanças. Idosos perderam tudo o que tinham".

O dinheiro desapareceu, segundo as autoridades judiciais, em um esquema fraudulento de bilhões de dólares que atingiu o Líbano. Seu arquiteto, um homem de negócios chamado Salah Ezzedine, foi acusado de fraude no sábado e está sendo chamado de " Bernie Madoff libanês" pelos jornais locais. Banqueiros dizem que esta é a maior fraude deste tipo que este país já viu.

Mas a quantidade de dólares chama menos atenção do que a ligação entre Ezzedine e o movimento militante xiita Hezbollah. Muitos dos investidores (principalmente xiitas que moram em Beirute e aldeias no sul do país como esta) dizem que a ligação com o partido fez com eles optassem por arriscar a economia de toda uma vida em um homem que ofereceu entre 40% e 50% de lucros mas nunca mostrou qualquer documentação.

O escândalo envergonhou o partido, que se orgulha de ter uma reputação como honesto e devotado.

O secretário geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, negou em uma discurso na semana passada que o partido tivesse qualquer conexão oficial com Ezzedine.

Mas dias depois, durante um jantar de Ramadã com partidários do Hezbollah no qual apareceu em uma vídeo conferência, Nasrallah concedeu que o partido seria em prática responsabilizado e disse estar preparando uma "rede de crise" para lidar com as perdas dos investidores.

Vários oficiais do Hezbollah perderam dinheiro e pelo menos uma pessoa moveu ação contra pessoa arquivou terno contra Ezzedine.

Ainda não está claro o que aconteceu com o dinheiro, de acordo com um oficial judicial com conhecimento do caso que falou sob condição de anonimato, dizendo não estar autorizado para comentar publicamente.

Ezzedine, que agora está na cadeia à espera de julgamento, investiu em metais, petróleo e outros artigos na África e Oriente Médio, de acordo com diversas pessoas que o conhecem.

O escândalo pode trazer problemas para a comunidade xiita, onde alguns donos de imóveis e outros negociantes se endividaram para financiar seus investimentos. A extensão da fraude permanece desconhecida, mas o oficial judicial disse que a quantia perdida pode ser de pelo menos US$ 700 milhões, e possivelmente mais de US$ 1 bilhão.

Leia mais sobre Hezbollah

    Leia tudo sobre: hezbollah

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG