Equipe de Obama analisa candidatos à vice-presidência

WASHINGTON ¿ As especulações que rodeiam a escolha do vice-presidente para a chapa do senador Barack Obama são marcadas pelas idas e vindas no escritório da Avenida Pennsylvania, em Washington, onde trabalham membros de sua equipe de análise.

The New York Times |

A escolha levou os advogados e pesquisadores democratas a visitarem inúmeros lugares do país numa busca secreta sobre cada capítulo da vida dos possíveis candidatos à vice-presidência, numa caça aos fatos embaraçosos, chamativos ou problemáticos.

Um ponto da investigação, por exemplo, é uma coleção de antigos processos de Richmond, Virgínia, onde casos sobre pena de morte de um jovem advogado chamado Tim Kaine estão sendo revistos. Kaine é o atual governador da Virgínia, mas seu trabalho de duas décadas atrás se tornou, de uma hora para outra, tema para alguns dos políticos democratas que trabalham na investigação.

Obama passou dois dias na Virgínia para se reunir com sua equipe de investigação e está cada vez mais perto de escolher seu companheiro de chapa. O exame minucioso de possibilidades sobre Kaine sugere que o esforço está bem encaminhado.  

Mesmo que Obama não tenha ainda entrevistado formalmente os candidatos, seus conselheiros dizem que a decisão é esperada para as próximas semanas, não para os próximos dias. Dizem ainda que não há pressa: a campanha parece estar progredindo e Obama não precisa disponibilizar tanta atenção e energia que normalmente acompanha o anúncio da escolha para à vice-presidência.  

Mesmo com todas as opções de companheiro de disputa ¿ um governador ou um senador, uma pessoa com histórico militar ou alguém ligado ao mundo dos negócios, alguém do estado natal ou de algum estado importante, um nome conhecido nacionalmente ¿ a lista de Obama parece ser bem reduzida. Alguns conselheiros falam em menos de cinco nomes, apesar de dizerem que não estão certos disso, mantendo o segredo pedido por Obama.   

Mesmo os estrategistas políticos de sua campanha e quase todos os seus conselheiros ¿ pessoas que conhecem os elementos da disputa ¿ estão fora da equipe de análise. O anúncio final de Obama já está sendo desenhado, mas espera-se que a equipe de planejamento não opine na escolha final ou tenha conhecimento prévio dela.

Silêncio

Os possíveis vice-presidentes não falam nada sobre o assunto. Minhas conversas com a campanha ficam na campanha, alegou Kaine aos repórteres na terça-feira em Washington. Eu não procurei por isso. Eu não estou brigando por isso. Eu jamais pedi por isso. Nunca pedi nada para a campanha.   

Até essa semana, Obama e sua equipe concentraram esforços consideráveis na viagem do candidato à Europa, dizem os conselheiros, então uma lista ainda não foi feita formalmente. Mas enquanto Obama estava fora do país, sua equipe de análise progrediu, focando não só na posição atual dos candidatos, mas também em suas carreiras prévias.

O senador Evan Bayh, de Indiana, que cumpriu dois mandatos como governador ¿ aos 33 anos foi o governador mais jovem do país ¿, tem um recorde datado de 1986, quando foi eleito secretário de Estado de Indiana.

A governadora do Kansas, Kathleen Sebelius, é ex-legisladora do Estado e também foi eleita comissária de seguro do Estado. Entre todos os possíveis candidatos, ela é talvez a menos conhecida, e, portanto suas conquistas precisam ser investigadas. Como comissária, por exemplo, ganhou credenciais ao barrar a proposta de fusão entre uma companhia de fora do Kansas e a Blue Cross e a Blue Shield of Kansas, um movimento que muitos analistas dizem que impediu um aumento nas tarifas das companhias de seguro.

Joseph R. Biden Jr. de Delaware, um senador de aproximadamente 36 anos, tem mais apelo junto ao público. Essa fato, assim como sua própria candidatura pela indicação democrata em 2008, coloca o foco da análise em aspectos financeiros e pessoais.

Vantagens e desvantagens

Cada um desses mencionados poderia trazer vantagens a campanha eleitoral. Kaine é católico e fala espanhol, o que auxiliaria Obama a conquistar essa ala do eleitorado. Bayh poderia fortalecer o candidato em Indiana, onde Obama acredita que pode vencer. Sebelius pode trazer um toque temático à campanha de Obama, pois os avós do candidato são do Kansas, estado que Sebelius governa. E Biden tem uma inatacável credencial no quesito segurança nacional.

Entretanto, aparesentam desvatagens também. Juntar Kaine ou Sebelius a Obama pode oferecer uma limitada experiência em assuntos internacionais. E enquanto os democratas não estão certos sobre a resistência de Bayh a ataques ferozes, eles se preocupam se Biden tem a disciplina necessária para os detalhes da campanha eleitoral.  

A equipe de análise está investigando, por motivos óbvios, as posições políticas de todos eles. Kaine, por exemplo, já declarou que é pessoalmente contra a pena de morte e o aborto, apesar de declarar que vai sustentar as leia já existentes.   

Depois de uma análise detalhada, existe ainda uma variedade de outros fatores que estão em jogo, de compatibilidade e camaradagem à lealdade e afinidade entre os possíveis companheiros de campanha. Mas esses aspectos não serão analisados pela equipe de campanha e sim pelo próprio candidato.

By JEFF ZELENY

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG