Enviado dos EUA visita Afeganistão sob forte segurança

CABUL, Afeganistão - O enviado especial do presidente Barack Obama chegou ao Afeganistão na quinta-feira, afirmou a embaixada americana local, um dia depois que uma série de atentados suicidas coordenados pelo Taleban à capital Cabul ressaltou a piora na segurança do país.

The New York Times |

Forças de segurança em Cabul continuaram em alerta máximo na quinta-feira, não apenas em preparação para a chegada do enviado especial Richard C. Holbrooke, mas também porque o porta-voz do Taleban afirmou que oito homens-bomba continuavam à solta pela cidade "à espera de uma chance".

O porta-voz descreveu os ataques de quarta-feira como retaliação pelo mal tratamento e tortura de prisioneiros que pertencem ao grupo Taleban.

Os ataques suicidas e atiradores do Taleban atingiram prédios do governo em três locais de Cabul, matando pelo menos 20 pessoas e ferindo 57. A operação complexa e altamente organizada demonstrou com que facilidade os insurgentes conseguem penetrar em locais fortificados da capital do país.

No Ministério da Justiça, cinco combatentes do Taleban armados com explosivos e rifles Kalashnikov mataram dois guardas, invadiram o local e tomaram controle do prédio por mais de uma hora.

Funcionários assustados, incluindo o ministro da justiça, se protegeram em seus escritórios enquanto os homens armados andavam pelos corredores atrás de vítimas. Pelo menos 10 pessoas foram mortas, duas das quais foram atingidas no fogo cruzado entre os combatentes e a polícia.

Além dos oito homens-bomba que atacaram o Ministério da Justiça, militantes do Taleban também atacaram o Ministério da Educação e o diretório de prisões. Todos os oito combatentes nos três locais foram mortos. Depois, forças de segurança carregaram os corpos dos homens-bomba em pedaços e, em sinal de grande desrespeito às tradições muçulmanas, os despejaram sem cerimônia na calçada em frente ao prédio.

Na manhã de quinta-feira, Holbrooke se encontrou com o antigo primeiro-ministro paquistanês e líder da oposição, Nawaz Sharif, em Lahore. Sua visita à região faz parte de uma revisão inspecionada das políticas americanas em ambos os países pedida por Obama, que se encontrou com o secretário da Defesa Robert M. Gates na quarta-feira para debater os planos de aumentar suas forças militares no Afeganistão.

- RICHARD A. OPPEL Jr.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG