Em Teerã, um símbolo se prepara para reaparecer

BEIRUTE, Líbano - O líder da oposição iraniana, Mir Hussein Moussavi, participará de uma reza de sexta-feira na Universidade de Teerã, afirma seu website, em um evento amplamente antecipado como sua primeira aparição oficial desde a disputa da eleição no mês passado.

The New York Times |

O serviço de sexta-feira deve atrair um grande número de apoiadores da oposição que esperam demonstrar força. Mas seus rivais pró-governo também devem comparecer e, na quinta-feira, as autoridades iranianas já alertavam para a possibilidade de novos confrontos nas ruas.

As rezas serão lideradas por Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, ex-presidente do país e o clérigo mais poderoso da oposição, além de amargo rival do presidente Mahmoud Ahmadinejad. Há intensa especulação sobre o tipo de sinal político que ele poderá enviar.

Os grande protestos públicos que aconteceram após a eleição já acalmaram, mas líderes da oposição não abandonaram sua alegação de que a eleição foi roubada a favor do vencedor declarado, Ahmadinejad.

Há relatos de que tapetes de reza verdes (a cor do Islã e da campanha eleitoral de Moussavi) estão à venda por toda a cidade.

Não houve nenhum comício da oposição desde o dia nove de julho, quando milhares tomaram o centro de Teerã para marcar o aniversário de um protesto anterior. A polícia dispersou os manifestantes com gás lacrimejante e cacetetes.

Alguns jornais mais próximos ao governo alertaram na quinta-feira contra "provocações" no sermão de sexta. O ministro da inteligência do Irã, Gholamhossein Mohseni-Ejei, foi citado pelo serviço de notícias Fars alertando os iranianos para que não transformem o sermão "em uma arena de cenas indesejáveis".

Ahmadinejad, que está visitando a cidade de Mashad, não participará da reza em Teerã. Ele falou a uma grande plateia em Mashad na quinta-feira e novamente culpou os inimigos externos do país pelos tumultos após a eleição.

Nas ruas de Teerã, há grande ansiedade pelo que a reza de sexta-feira poderá gerar. "Temos medo do que pode acontecer depois da reza", disse um jovem que informou apenas seu primeiro nome, Saeed. "Pode haver confrontos entre os dois lados".

Leia também:


Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: ahmadinejadirãmousavi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG