Famílias que não têm onde morar ocupam propriedades particulares e causam polêmica nos Estados Unidos

A organização Save Florida Homes Inc. e seu proprietário, Marcos Guerette, encontraram casas hipotecadas para diversas famílias carentes em North Lauderdale, no condado de Broward, e seus moradores não poderiam estar mais satisfeitos.

Fabian Ferguson, sua esposa e dois filhos agora vivem em uma casa de dois quartos que foi transformada de uma proporiedade danificada e abandonada a uma moradia plena e acolhedora.

Há apenas um problema: Guerette não é seu proprietário. Ainda.

Fabian Ferguson, sua esposa e dois filhos agora vivem na casa que foi transformada em moradia acolhedora
The New York Times
Fabian Ferguson, sua esposa e dois filhos agora vivem na casa que foi transformada em moradia acolhedora
Em um sinal da perspicácia ímpar que floresceu desde o colapso do setor imobiliário, ele está apostando em uma lei estadual da Flórida de 1869 que diz que a propriedade que ele tomou para si será sua, caso seu dono não a reclame no prazo de sete anos.

Uma versão da mesma lei foi usada na década de 1850 para reivindicar a posse de escravos fugidos, mas Guerette, 47 anos, um corretor de hipotecas, vê seus esforços como heróicos. "Há todas essas propriedades lá fora que poderiam ser usadas para o bem", ele disse.

Bandido

Autoridades de North Lauderdale, no entanto, o veem como um bandido. Ele irá a julgamento em dezembro, acusado de fraude em um caso que, junto com um punhado de outros na Flórida e em outros Estados, poderia determinar se a manutenção de um imóvel e o pagamento de seus impostos é suficiente para levar à propriedade.

Não está claro quantas pessoas estão testando a ideia, mas advogados dizem que casos de posse por apreensão têm surgindo em todo o país – e, segundo eles, esses proprietários autoproclamados desempenham um papel ímpar na bagunça imobiliária que parece nunca ter fim.

Guerette, corretor de hipotecas, vê seus esforços como heróicos
The New York Times
Guerette, corretor de hipotecas, vê seus esforços como heróicos
Embora possam rejeitar a analogia, como posseiros com contas bancárias, esses donos adversos são como sanguessugas e pode ser difícil saber se eles estão limpando uma ferida que já existia ou apenas tornando-a pior.

Guerette, que agora pode pegar até 15 anos de prisão, insiste que seu negócio é legítimo e moral.

Sam Goren, advogado da cidade de North Lauderdale, disse que os benefícios são superados por um simples fato que essas pessoas muitas vezes ignoram: elas estão invadindo uma propriedade particular.

Despejo

Michael Allan Wolf, especialista em imóveis da Escola de Direito da Universidade da Flórida, disse que essas pessoas também interrompem a cadeia de título. Proprietários legítimos acabam por ter de despejar estes inquilinos. O tempo entre a desapropriação e a revenda legítima pode ser maior.

Mesmo quando esses proprietários autoproclamados ajudam a estabilizar os bairros, Wolf observou, "não é uma cura eficaz e eficiente para a crise imobiliária na Flórida".

*Por Catharine Skipp e Damien Cave

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.