Em becos de Pequim, gritos de ambulantes ecoam sons do passado

PEQUIM- Não muito tempo depois da alvorada, antes da cidade começar seu ruído rotineiro, os gritos e chamados podem ser ouvidos pelos antigos becos e dentro dos velhos quintais amurados que formam o coraão da capital chinesa.

The New York Times |

"Carne de cabra, carne de cabra!"

"Ovos, arroz, ovos, arroz!"

"Utilidades, utilidades domésticas!"

Com mais ênfase no som do que na letra, estes são os jingles de marketing de ambulantes que vendem frutas, patos assados e amolam facas de cegas.

Como o familiar ganido das cigarras em agosto, seus gritos são a trilha sonora do verão de Pequim.

"Se você não puder gritar alto, você passará fome", disse Chen Lin, 37, um homem magro e animado que ganha cerca de US$ 5 por dia consertando eletrodomésticos quebrados.


Garoto observa pequenos animais vendidos por ambulante / NYT

Condomínios de apartamentos são os inimigos dos mascates. Bem como o ar condicionado que inunda as ruas e mantêm os moradores do lado de dentro.

As autoridades municipais também não são amigas dos vendedores ambulantes. Leis rígidas e funcionários de administração urbana, conhecidos como chengguan, os mantêm na corrida sob o risco de multas e detenção.

"O melhor momento para se estar fora é a hora do almoço, quando os chengguan param de trabalhar", disse Meng Xiandong, 54, vendedor de batata-doce secas.

Um lugar bom para se ter um gosto da velha Pequim é Qianmen, um bairro pobre mas colorido ao sul da Praça da Paz Celestial que é uma confusão de ruelas e casas em estado periclitante.

Na maioria dos dias, é possível encontrar ambulantes que vendem abacaxis meticulosamente descascados, um homem que oferece dois tipos de mel (normal e medicinal) e um sapateiro impertinente que pode colocar uma sola nova em um par de sapatos no tempo que leva para uma panela de macarrão chinês ficar pronta.

Um homem que não precisa de nenhum anúncio vocal é Li Hailun, vendedor de gafanhoto cujas mercadorias, centenas de insetos presos em pequenas gaiolas de fibra natural, produzem uma sinfonia alta ensurdecedora.


Li Hailun venee gafanhotos nas ruas de Pequim / NYT

Os insetos atraem uma multidão onde quer que Li vá. Em um recente dia, transeuntes discutiam se iriam alimentá-los com cenouras, chalotas ou arroz. Uma mulher revelou que crianças criadas ao lado de um inseto barulhento não se assustam facilmente com barulho.

"Todo mundo ama gafanhotos", disse Li. "Quando eles cantam, você não pode deixar de se sentir feliz."

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG