Eleitores encontram longas filas, mas nenhuma catástrofe

As filas foram longas, os computadores falharam, algumas brigas e até mesmo processos aconteceram, mas o processo eleitoral desta terça-feira - que pode estabelecer um novo recorde de comparecimento - foi relativamente tranquilo, sem relatos de alguma catástrofe que tenha impedido a votação.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Os eleitores esperaram até sete horas em algumas partes da Virgínia, e cinco horas em no norte do condado de St. Louis, Missouri, conforme mesários e máquinas foram sobrecarregados pelo enorme comparecimento.

Autoridades eleitorais da Virgínia relataram filas de 805 metros em Petersburg e 40 quilômetros em Richmond. Na Filadelfia e Detroit, cerca de 1,000 pessoas formavam fila enquanto erros eletrônicos eram reportados em Cleveland e Kansas.

Apesar de alguns problemas isolados, eleitores pacientes permaneceram na fila, constantes em sua paixão em participar, muitos pela primeira vez, não dissuasivos pela chuva, cansaço ou espera.

Especialistas estimam que cerca de 130 milhões de eleitores participaram do processo, o que será o maior percentual de comparecimento em um século, além de obscurecer o recorde anterior de
123.5 milhões de pessoas que foram às urnas há quatro anos.

Autoridades eleitorais disseram que um dos motivos da agilidade das filas em alguns Estados foi a quantidade de eleitores que votaram antecipadamente - cerca de 29 milhões.

Ainda assim, os atrasos que mantiveram muitos eleitores esperando por mais de uma hora foram vistos pelos especialistas como uma indicação de que o processo democrático não está preparado para lidar com uma eleição deste tamanho.

"O problema ainda é o fato de termos um sistema preparado apenas para um baixo índice de comparecimento e por isso temos tantas filas, falta de cédulas e urnas eletrônicas com defeitos", disse Jonah H. Goldman, advogado do Comitê de Advogados pelos Direitos Civis, acrescentando não acreditar que os problemas tenham sido graves o suficiente para afetar o resultado da eleição.

Um telefone nacional criado para ajudar os eleitores recebeu mais de 60,000 reclamações de pessoas de todo o país, principalmente de Estados disputados como a Flórida, que teve 2,500 reclamações, Pensilvânia (2,600), Ohio (1,800), Nova York (5,000) e Califórnia (4,000).

As reclamações mais comuns aconteceram por causa das filas, que fizeram com que alguns eleitores desistissem de votar. Urnas eletrônicas também representaram problemas (principalmente na Pensilvânia e Virgínia), bem como as cédulas de papel,  que no caso de localidades de clima chuvoso como a Virgínia, fizeram com que cédulas fossem rejeitadas por estarem molhadas.

Alguns condados no Maine, Carolina do Norte e Pensilvânia mantiveram as urnas abertas até mais tarde por inúmeros motivos, incluindo atrasos na votação por causa de uma ameaça de bomba, alarmes contra incêndio e a falta de cédulas.

Para muitos eleitores, especialmente em Estados como Flórida e Ohio com histórico de problemas, as situação foi tranquila.

"Eu demorei mais para estacionar o carro do que para votar", disse Brian Smyth de Cincinnati. "Quero agradecer todos que votaram antecipadamente por terem ajudado pessoas que, como eu, deixam tudo para a última hora".

- IAN URBINA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG