Eleitores acham McCain menos capaz que Obama de levar mudança a Washington, diz pesquisa

WASHINGTON - Apesar do grande esforço em se distanciar da forma como seu partido liderou Washington nos últimos anos, o senador John McCain é visto pelos eleitores como menos capaz do que o senador Barack Obama de levar mudança à capital.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

McCain é amplamente visto como um "republicano típico" que manteria ou ampliaria as políticas do presidente Bush, de acordo com a última pesquisa New York Times/CBS News. Entrevistas conduzidas depois da Convenção Nacional Republicana sugerem que McCain conquistou mais apoio (principalmente entre mulheres brancas depois de escolher a governadora Sarah Palin do Alasca como sua vice), mas os últimos índices mostram que o "efeito Palin" foi, pelo menos até agora, um momento de interesse limitado.

A disputa parece estar na mesma situação que antes das convenções e depois da escolha dos vices: Obama tem o apoio de 48% dos eleitores registrados e McCain tem 43%, uma diferença que está dentro da margem de erro de pequisas e estatisticamente imutável desde meados de agosto.

A pesquisa mostrou que McCain tem alguns pontos fortes duradouros, como uma grande vantagem sobre Obama como possível comandante da nação. Pela primeira vez, 50% dos entrevistados disseram que a manutenção de tropas no Iraque, assunto liderado por McCain desde o começo da disputa, melhorou a situação no país.

A pesquisa também mostrou como a convenção de McCain e sua escolha de Palin animaram a base eleitoral republicana sobre sua candidatura, o que não é pouco numa disputa que permanece acirrada: 47% dos partidários de McCain descrevem a si mesmos como entusiasmados com a candidatura republicana, quase o dobro de antes das convenções.

Mas a pesquisa sugeriu que a escolha de Palin, até o momento, ajudou McCain apenas entre a base eleitoral republicana. Não há evidência de aumento significativo de apoio ao candidato por parte de eleitoras de uma base mais ampla. As mulheres brancas estão divididas de forma equilibrada entre McCain e Obama; antes das convenções, McCain estava na frente de Obama nessa faixa eleitoral, com 44% em relação a 37%.

Por outro lado, a essa altura da campanha em 2004, o presidente Bush estava na frente do senador John Kerry de Massachusetts, o oponente democrata, com  56% contra 37% dos votos das eleitoras brancas.

A última pesquisa nacional Times/CBS News foi realizada entre sexta e terça-feira com 1.133 adultos, dos quais 1.004 eram eleitores registrados. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou menos.

Por ROBIN TONER e ADAM NAGOURNEY

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG