Editorial: Obama adota medida justa ao limitar pagamentos de executivos

A decisão do presidente Barack Obama em limitar o pagamento de executivos sênior dos bancos resgatados lida com uma das mais absurdas fraquezas do pacote de resgate financeiro da gestão Bush. Se alguém se sente mal pelos banqueiros, pode parar. Os bancos podem pagar mais do que o valor estipulado por Obama (US$500 mil ao ano) mas apenas em ações restritas que não podem ser convertidas em dinheiro até que o governo tenha sido restituído. Isso nos parece justo.

The New York Times |

A Casa Branca também anunciou que está revendo as políticas de pagamento a executivos em todo o setor financeiro para ver se há formas de alinhar melhor o risco a longo prazo e as recompensas. Isso também já deveria ter sido feito.

A gestão e o Congresso devem agir rapidamente para determinar se as novas regras podem ser aplicadas, usando o código fiscal ou a regulamentações de securities, para encorajar todos os bancos a pagarem seus executivos de forma a temperar sua destrutiva luxúria por risco que levou o sistema financeiro a um cataclismo.

Críticos da limitação do pagamento e das outras restrições alegam que isso irá dificultar muito a contratação de executivos talentosos. Mas está claro que a economia não foi bem atendida pelos benefícios destes executivos. O país precisa de banqueiros cuja remuneração esteja ligada ao sucesso de suas estratégias a longo-prazo, ao longo de muitos anos (não apenas para a recuperação de sua última aposta arriscada).

As novas regras também ampliam os termos do plano original para impedir que um número maior de executivos receba para-quedas dourados e sujeitar mais deles às provisões "niveladoras" que buscam recuperar bônus baseados em informações fraudulentas. Elas também exigem que membros da diretoria corporativa estabeleçam política explícitas para guiar seus gastos em coisas como entretenimento e reformas (como a renovação de banheiros corporativos) e as divulguem em seus websites.

As novas regras contêm algumas exceções possivelmente preocupantes que terão que ser monitoradas com cuidado. Os bancos que não recebem um resgate customizado (como os que foram entregues ao Citigroup e ao Bank of America) podem evitar a limitação caso revelem o salário publicamente e sujeitem sua aprovação a um voto acionário.

Banqueiros de posição menor, como traders, não enfrentam limites em suas remunerações e ainda podem receber milhões. Todos os banqueiros recebendo dinheiro dos contribuintes ainda podem ser remunerados em outros "acordos de incentivo a longo prazo". Isso pode mostrar como funciona a engenharia financeira. Sob certas circunstâncias, eles podem transformar seus bônus em dinheiro antes que o governo seja pago.

Ainda assim, as novas regras representam uma medida justa na direção certa. Se o país tiver sorte, as regras podem gerar um certo cuidado, ou até mesmo vergonha, no setor bancário. Talvez elas possam chegar a impedir que alguns bancos apelem para a ajuda pública no futuro.

Leia mais sobre governo Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG