Editorial - O impreciso significado da palavra guerra

A menos que o Congresso impeça os desvios na lei que permitem o lucro com as guerra, as companhias que estão usurpando o dinheiro dos contribuintes no Iraque e Afeganistão nunca serão totalmente responsabilizadas. Isso porque esses conflitos não são guerras declaradas.

The New York Times |

A lei anti-fraude que surgiu durante a Segunda Guerra Mundial permite ações contra companhias contratadas até três anos depois do fim de um conflito. Mas esse estatuto de limitações foi omitido das resoluções que autorizaram ações militares no Iraque e Afeganistão, que não têm declarações formais de guerra.

Os investigadores afirmam que os fraudes nas guerras atuais chegam à casa dos bilhões, incluindo a compra de munição e veículos defeituosos e coletes não tão à prova de balas assim. Autoridades investigativas e o inspetor geral da reconstrução do Iraque testemunharam que foram enganados durante os conflitos e que precisam de mais tempo para pegar os ladrões contratados depois de seu fim.

A solução é um projeto bipartidário esclarecendo que autorizações congressionais para o uso da força militar também significam "guerra". A reparação também permite ações legais em até cinco anos depois da guerra. O Comitê Judiciário do Senado acabou de aprovar essa medida crucial e o resto do Congresso deve sair sobre isso. De outra forma os desvios da lei continuarão a promover os contratos de guerra como "gratuitos e sem necessidade de prestação de contas", nas palavras do senador Charles Grassley, o republicano responsável pelo projeto.

O Departamento de Justiça, enquanto isso, cuida de mais de 900 casos nos quais delatores acusam os contratados do governo de bilhões em fraudes, tanto em gastos militares quanto domésticos. Longos atrasos mantêm a informação em sigilo enquanto o departamento, sobrecarregado e com pouco pessoal para lidar com o assunto, analisa se as alegações têm fundamentos, de acordo como jornal The Washington Post.

Seja no fronte da guerra ou no fronte doméstico, o governo precisa fazer um trabalho muito mais convincente ao ir atrás de quem lucra com a guerra por meio do dinheiro dos contribuintes.

Leia mais sobre: guerra

    Leia tudo sobre: guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG