Editorial - O governo e a web

A administração de Obama está considerando novas regras para facilitar que os sites do governo utilizem tecnologias de proteção como ¿cookies¿, bloco de dados armazenados para futuras identificações. Há razões válidas para usar tais ferramentas, mas o governo deve construir fortes proteções de privacidade.

The New York Times |

A administração Clinton adotou uma regra que limita o rastreamento em sites federais. Seguir o movimento dos usuários era permitido apenas se oficiais pudessem provar uma necessidade urgente e se a agência principal a autorizasse pessoalmente.

Tecnologias de rastreamento podem melhorar a qualidade dos sites ao monitorar quantas pessoas estão visitando o site e como elas o utilizam. Além disso, também podem personalizar a experiência. Por exemplo, o serviço de estacionamento poderia fornecer informação baseada onde o usuário mora.

Fabricantes de navegadores tornaram mais fácil para os usuários remover cookies ou mesmo apagá-los em grande escala. Mas a tecnologia de rastreamento ainda pode representar um verdadeiro risco, especialmente para algo que ainda não foi iniciado.

Se usuários derem informações pessoais a um site do governo, a instituição poderia traçar os visitantes em outros sites governamentais, como um que oferece informação sobre vício em drogas ou AIDS/HIV. Isso poderia ser feito por meio dos cookies ou guardando o rastro do endereço de IP dos usuários, que pode ser ligada a indivíduos específicos.

Nos últimos anos, o governo monitorou algumas bibliotecas de uso de americanos e, ilegalmente, espionaram ligações telefônicas e e-mails. Grupos de privacidade estão preocupados que as novas regras poderiam abrir o caminho para partes terceiras de coletar grandes quantidades de dados por meio de sites do governo ¿ por exemplo, se uma agência coloca no YouTube um vídeo com seus próprios cookies.

O Escritório de Administração e Orçamento está desenvolvendo novas regras. Os oficiais dizem que reconhecem que pessoas devem ter conhecimento que ao usarem os sites eles estão sendo rastreados ¿ e devem ter uma chance de optar aceitá-lo. Mais ainda é necessário. O governo deveria se comprometer a exibir esse tipo de aviso de forma perceptível em todas as páginas da web ¿ e tornar mais fácil para os usuários escolher ser rastreado ou não.

Ele deve prometer que o rastreamento de dados seria usado apenas com o propósito original: se alguém pedir uma informação de como conviver com câncer, isso não deveria acabar em uma base de dados gerais. A informação deve ser organizada regularmente e o mais rápido possível. Essas regras devem se aplicar às terceiras partes que operam com sites do governo.

A administração de Obama está trabalhando para melhorar o controle do poder da internet de oferecer serviços governamentais. Isso é bom. Mas é preciso estar atento que as pessoas devem ter acesso à ajuda e garantia de que sua privacidade está sendo protegida com atenção.

Leiam ais sobre Obama

    Leia tudo sobre: internetobamaproteçãoweb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG