Editorial: imigrantes esperam mais ações de Obama

O presidente Barack Obama continua a dizer que quer consertar a imigração. Ele deve dizer isso novamente na Prece Nacional Hispânica no Café da Manhã em Washington nesta sexta-feira. E provavelmente voltará a repetir na próxima semana, se seu encontro com líderes congressistas adiado por duas vezes para discutir a reforma imigratória finalmente acontecer.

The New York Times |

Esta grande profusão de promessas não levou a nenhum resultado concreto. A falta de ação e a passagem do tempo apenas aumentaram a frustração daqueles que contam com Obama para fazer algo sobre a reforma imigratória (um plano, uma agenda, o rascunho de um projeto).

Obama precisa acabar com o impasse sobre a imigração. Ele precisa fazer isso logo. Obama deve isso aos eleitores hispânicos, cujo enorme apoio o colocou na Casa Branca, e aos imigrantes sem documentos cujas vidas têm sido terrível por causa da perseguição que foi colocada em prática pela última gestão e que acontece até hoje.

O presidente não tem como fazer isso sozinho. Os democratas do Congresso, especialmente da Câmara, precisam parar de aceitar intimidações dos partidários anti-imigração. Eles precisam do apoio de republicanos moderados, principalmente do senador John McCain, que precisa voltar a defender o apoio de seu partido à uma reforma imigratória inteligente.

Das muitas bagunças que o presidente George W. Bush deixou para trás, o fracasso em consertar a imigração é um dos poucos pelos quais ele demonstrou remorso. Há muito pelo que se ter remorso.

Há consenso (no país e em Washington) sobre os elementos necessários para uma reforma ampla e inteligente: patrulhas mais eficazes na fronteira e no ambiente de trabalho, um caminho para a assimilação ao invés da deportação de 12 milhões de imigrantes ilegais e um melhor fluxo futuro de trabalhadores e famílias. Tudo veio abaixo no calor das políticas de direita.

Agora é a vez de Obama liderar o país para um resultado diferente. Ninguém pode esperar que um enorme projeto seja aprovado em poucas semanas ou meses, mas há coisas que ele pode fazer agora que irão demonstrar sua seriedade.

Tudo se resume a uma simples pergunta: se você aceita a legalização dos imigrantes sem documentos como desejável e inevitável, então por que continua a fazê-los passar por dificuldades?

Enquanto esperam pelo projeto de legalização, eles estão sofrendo sob leis injustas, policiamento corrupto e um sistema de prisão e deportação que rotineiramente suprime seus direitos. Cidadãos americanos que são hispânicos e geralmente são vítimas de buscas racistas, também sofrem. Obama e sua secretária de Segurança Doméstica, Janet Napolitano, precisam fazer mais para evitar estes excessos.

Os republicanos também precisam fazer sua parte. Eles irão ceder novamente ao bando anti-anistia, aos Minutemen e nativistas? Ou irão ajudar a reavivar e aprovar uma reforma realista e desesperadoramente necessária (se unindo a um presidente engajado e a um reenergizado John McCain)?

O povo americano está muito à frente dos políticos nesta questão, apoiando em peso uma ampla reforma. Washington ainda pode alcançá-lo. Ainda há tempo e o país espera.

Leia mais sobre imigração

    Leia tudo sobre: imigração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG