Editorial: Departamento de Segurança Nacional deve avaliar excessos herdados da era Bush

Equipes federais de combate à imigração ilegal com metralhadoras e armas automáticas forçando sua entrada nas casas de cidadãos sem mandato ou consentimento legal, derrubando portas e entrando por janelas na escuridão do amanhecer, tirando pessoas inocentes de suas camas, segurando sonolentos ocupantes sob a mira de uma arma, levando embora as pessoas sem explicação - depois de invadir a casa errada.

The New York Times |

Este é um relato verdadeiro sobre as profundezas às quais a gestão Bush despencou, quando a execução das leis imigratórias se tornou febrilmente extrema.

Os detalhes estão em um relatório divulgado na quarta-feira pela Clínica de Justiça Imigratória da Escola de Direito Benjamim N. Cardozo. Ela descreve uma campanha de invasões de casa ilegais realizadas por agentes de Execução da Imigração e Alfândegas entre 2006 e 2008 em Long Island, Nova Jersey. O relatório, escrito por um painel conduzido por Lawrence Mulvey, comissário de polícia do condado de Nassau em Long Island, examinou 700 boletins de prisão obtidos através de ações pela Liberdade de Informação e achou um padrão vergonhoso de abusos.

As patrulhas deveriam caçar membros de gangues e outros fugitivos e criminosos perigosos, mas dois terços dos presos eram casualidades (latinos com violações civis da imigração). Ainda que os agentes não tivessem autorização judicial e, portanto, não pudessem entrar em casas particulares legalmente sem o consentimento de um morador, eles fizeram isso com frequência (em 86% dos casos de Long Island estudados e 24% dos casos de Nova Jersey). E ainda que a agência fosse legalmente obrigada a ter suspeitas concretas antes de deter e questionar qualquer pessoa, em dois terços dos casos de apreensão relatados, nenhuma explicação pela prisão é inicialmente fornecida.

Não é necessário dizer que as invasões foram não apenas fracassos táticos mas também afrontas morais. Três dias de invasões no condado de Nassau, por exemplo, conseguiram deter apenas seis de 96 alvos. Mulvey e o executivo do condado de Nassau, Tom Suozzi, denunciaram ferozmente as invasões na ocasião como despreocupadas, ilegais e perigosas (os agentes, segundo eles, eram notoriamente indisciplinados, a o ponto de apontarem armas contra policiais do município por engano). O relatório Cardozo confirma seu julgamento.

O Departamento de Segurança Nacional, sob o comando da secretária Janet Napolitano, afirma que tem tentado desfazer os piores excessos cometidos durante a era Bush em relação à execução de leis imigratórias. Eles devem adotar as recomendações de Cardozo, inclusive para que não seja autorizada nenhuma invasão domiciliar a não ser para prender fugitivos perigosos e como último recurso; nenhuma invasão sem autorização judicial; a gravação dos agentes em ação e o treinamento de procedimentos, começando com uma investigação do inspetor geral sobre até onde foram os abusos.

Leia mais sobre  governo Bush

    Leia tudo sobre: bushobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG